Grega Exército de Libertação do Povo - Greek People's Liberation Army


Da Wikipédia, a enciclopédia livre
Exército de Libertação do Povo grego
Ελληνικός Λαϊκός Απελευθερωτικός Στρατός
Participante na resistência grega eo Dekemvriana
ELAS Galatsi.jpg monumento
Monumento da ELAS, Galatsi.
Ativo 1942-1945
líderes Aris Velouchiotis (Chief Capitão)
Major General Stefanos Sarafis (oficial militar Chief)
comissário político Andreas Tzimas (supervisor política Chief)
Tamanho 50.000 - max.100,000
Parte de Frente de Libertação Nacional
aliados União Soviética , SNOF , albaneses Partisans , Partisans búlgaros , Partisans jugoslavos , SOE
Oponentes) Exército alemão , Exército Real italiana , Reino da Bulgária , o governo colaboracionista , Batalhões de Segurança , EDES / EOEA , EKKA / 5/42 Regimento de Evzone , YVE / PAO , Organização X , Cidades Polícia , grego Gendarmerie , exército britânico (1944)

As Exército de Libertação do Povo grego ( grego : Ελληνικός Λαϊκός Απελευθερωτικός Στρατός , . Translit  Ellinikos Laïkós Apeleftherotikós Stratos ), vulgarmente conhecida pela sigla ELAS (ΕΛΑΣ), e muitas vezes erroneamente chamado de Exército Popular de Libertação Nacional (Εθνικός Λαϊκός Απελευθερωτικός Στρατός, Ethnikos Laïkós Apeleftherotikós Stratos ), era o braço militar do esquerdista Frente de Libertação Nacional (EAM) durante o período da resistência grega , até fevereiro de 1945, quando, após as Dekemvriana confrontos e do Acordo Varkiza , foi desarmada e dissolvida.

Nascimento de ELAS

Após a Alemanha nazista atacou a União Soviética com o início da Operação Barbarossa (22 de junho de 1941 - com a maioria da Grécia ter caído sob ocupação Axis desde abril ea Batalha de Creta tendo terminado em 1 de Junho - o Partido Comunista Grego (KKE) pediu resistência nacional. o KKE junto com partidos menores de esquerda formada uma estrutura política chamada Frente de Libertação nacional . Eles se juntaram a outro, de centro-esquerda ou não-politizado militantes resistência grega.

Em 16 de Fevereiro de 1942, EAM deu permissão para um veterano comunista, chamado Athanasios (Thanasis) Klaras (mais tarde conhecido como Aris Velouchiotis ) para examinar as possibilidades de um movimento de resistência armada vitoriosa. Era o nascimento do Exército de Libertação do Povo grego (ELAS). ELAS iniciou ações contra os alemães e italianos forças de ocupação na Grécia em 7 de junho de 1942. Aris Velouchiotis com um pequeno grupo de 10-15 guerrilheiros entraram na aldeia de Domnista em Evrytania e proclamou na frente dos moradores surpreso que eles tinham partiu para " começar a guerra contra as forças do Eixo e seus colaboradores locais ". Inicialmente, Velouchiotis coletadas também os montanha de vida tradicionais locais bandidos , como Karalivanos, a fim de criar um pequeno grupo de especialistas em luta de guerrilha.

Consolidação de força

Gorgopotamos

Chamada para se tornar parte da ELAS

Em uma noite em setembro de 1942, um pequeno grupo de britânicos SOE oficiais pára-quedas na Grécia perto de Mt. Giona. Este grupo, liderado pelo brigadeiro Eddie Myers , tinha sido encarregado de explodir uma das três pontes ( Gorgopotamos , Papadia ou Asopos) da principal linha ferroviária do país, e para obter os dois principais, mas competindo, grupos guerrilheiros de ELAS e EDES para colaborar.

Depois de muita discussão, a ponte Gorgopotamos foi escolhido devido à dificuldade de fazer reparações para a estrutura. Mas, para a missão ter sucesso, era importante para atender os guerrilheiros. Dimos Karalivanos, um guerrilheiro ELAS, foi a primeira guerrilha os britânicos encontrados. No final de outubro, um segundo grupo de oficiais britânicos foram pára-quedas nas montanhas gregas. Seus líderes eram Themis Marinos e coronel Christopher Woodhouse . Sua missão era localizar os guerrilheiros do EDES e seu líder Napoleão Zervas , que foram mais amigáveis à sede britânica do Médio Oriente do que ELAS, e cooperar com eles. A missão resultante foi um desafio para os dois grupos guerrilheiros, EDES e ELAS. Finalmente, eles concordaram em colaborar. Os britânicos não favoreceu a participação de ELAS, porque era um grupo pró-comunista, mas as forças da ELAS eram maiores e mais bem organizado, e sem a sua participação, a missão era provável que falhe. Assim, em um evento raro e único, ELAS e EDES-EOEA uniram forças.

Em 14 de novembro, os 12 sabotadores britânicos, as forças da ELAS (150 homens) e os da EDES (60-65 homens) se reuniu na aldeia Viniani em Evrytania e a operação começou. Dez dias mais tarde, as forças estavam em Gorgopotamos. Na noite de 25 de Novembro, às 23:00, a guerrilha começou o ataque contra a guarnição italiana. Os italianos ficaram assustados, e depois de pouca resistência, eles foram derrotados. Após a derrota dos italianos, os sabotadores definir os explosivos. Forças ELAS também tinha colocado emboscadas nas rotas para a ponte, para bloquear a abordagem de reforços italianos. A explosão ocorreu às 03:00. Posteriormente, as forças dos guerrilheiros voltou a Viniani , para comemorar o sucesso da missão.

A destruição da ponte Gorgopotamos foi, juntamente com a sabotagem de água pesada norueguesa em Rjukan, um dos dois maiores atos de guerrilha na Europa ocupada. A explosão da ponte interrompeu o transporte alemão de munição através da Grécia para Rommel forças 's para várias semanas, a ter lugar numa altura em que as forças alemãs na África do Norte, retirando-se após a derrota de El Alamein , estavam em absoluta necessidade de disposições .

De 1942 a 1943: o ponto de viragem

Oficiais da ELAS
Navios de Marinha de Libertação do Povo grego, WWII

A explosão de ponte Gorgopotamos favorecido ELAS. Logo, muitos dos habitantes das aldeias da Grécia Central se tornaram membros da ELAS. Além disso, as pessoas simpatizavam com os guerrilheiros ELAS, porque eles não foram ajudados pelos britânicos em contraste com EDES. Quando 25 guerrilheiros deserta da ELAS, Aris Velouchiotis foi para Epirus para ameaçar Napoleão Zervas para não entrar em contato com eles. Mais tarde, os 25 desertores foram presos e executados na aldeia de Sperhiada. O inverno de 1942, grupos ELAS foram formados em outras regiões gregas, como Tessália e Macedônia . Na Grécia Central, Aris Velouchiotis conseguiu formar um exército poderoso semi-convencional que poderia atacar alemão e as forças italianas. Aris tornou-se uma figura lendária que impôs uma disciplina de ferro na ELAS. Ao mesmo tempo, alguns membros da ELAS (PERIKLIS, Tasos Leuterias, Diamantis, Nikiforos, Thiseas, Dimos Karalivanos, e Belis) foram distinguidos na batalha. Aris Velouchiotis formou um grupo de 30-35 homens, chamado de "Mavroskoufides" (os "capas pretas"), que eram seus guardas pessoais. Durante o inverno de 1942-1943, as novas unidades de ELAS foram compostas em muitas regiões da Grécia. Algumas áreas nas montanhas da Grécia Central passou do controle do Eixo forças ao do ELAS.

A liderança da ELAS seguido uma forma triádica, de sua parte superior para baixo ao nível de pelotão: o capitão ( KAPETANIOS ), eleito pelos homens e o líder geral da unidade, o especialista militar ( stratiotikós ), geralmente um oficial do exército regular, responsáveis pela planejamento tático e formação, e o líder político ( politikos ), geralmente um membro do KKE, como representante de EAM. Na sua parte superior, as matrizes gerais de ELAS, estas posições foram preenchidas por Aris Velouchiotis, Stefanos Sarafis e Andreas Tzimas ( nom-de-guerra : vasilis Samariniotis).

Dois eventos de grande importância ocorreu nesse período. KKE, depois de passar grandes dificuldades, conseguiu reorganizar seus grupos destruídas por Metaxas. Muita membros foram recrutados e com a ajuda de ELAS, que se tornou o maior exército guerrilheiro na Grécia, EAM tornou-se a maior organização política de massas na história grega, reivindicando mais de 1,5 milhões de membros, alistou-se em organizações que cobriam cada bairro em cada aldeia. O segundo grande evento foi a fundação da Organização das Nações Pan-helénico da Juventude (EPON) ( grego : Ενιαία Πανελλαδική Οργάνωση Νέων ). Em 1943, uma pequena marinha auxiliares de marinha, a marinha grega Popular de Libertação (ELAN) também foi fundada.

Dois anos após a sua fundação, a força militar ELAS' tinha crescido de um pequeno grupo de combatentes em Domnitsa a uma força de cerca de 50.000 partidários (estimativas do governo britânico) ou a tantos quantos 85.000, de acordo com fontes EAM; -Se EAM, e suas organizações associadas, tinha crescido para uma adesão de qualquer lugar de 500,000-750,000 (de acordo com Anthony Eden ) até dois milhões, em um país de 7,5 milhões de habitantes. ELAS foi, assim, um dos maiores grupos de resistência formados na Europa, similar ao francês Maquis , a resistência italiana e os iugoslavos Partisans , mas menor do que a resistência polonesa.

O "Governo Mountain"

Em 10 de Março de 1944, o EAM-ELAS, agora no controle da maior parte do país, estabeleceu o Comité Político de Libertação Nacional (PEEA), amplamente conhecido como o "Governo Mountain" ( grego : Κυβέρνηση του βουνού , . Translit  Kyvérnisi tou Vounou ) , com efeito, um terceiro governo grego para rivalizar com a colaboração em Atenas e o governo no exílio no Cairo. Os seus objectivos, de acordo com o seu acto fundador, eram, " de intensificar a luta contra os conquistadores (...) pela libertação nacional completo, para a consolidação da independência e integridade do nosso país (...) e para a aniquilação de fascismo doméstico e formações traidor armados. "

PEEA foi eleito em territórios libertados e aqueles ocupados por 2.000.000 cidadãos gregos. Foi historicamente a primeira vez que as mulheres podiam votar. ministros PEEA coberto um amplo espectro político da esquerda para o centro.

Primeira Guerra Civil

ELAS tornou-se o mais forte de todas as organizações armadas de resistência, controlando por 1944 militares de três quintos do país (principalmente as montanhas) que têm em suas fileiras mais de 800 policiais militares do antigo Exército Nacional. ELAS envolvidos em batalhas contra outros grupos de resistência, além das forças para-militares do governo colaboracionista . ELAS inicialmente começou a atacar o republicano Liga Nacional grego (EDES) sobre acusações de colaboração com os alemães. ELAS atacou também a Organização Pan-helénico Libertação (PAO), outra organização de resistência, concentrada no norte da Grécia, na região da Macedónia com acusações de colaboração. O poder armado dos dois grandes organizações não era comparável como EDES teve aprox. 12.000 guerrilheiros, enquanto o poder ELAS' era muito mais forte. Pequenas batalhas estavam ocorrendo em Epirus, onde EDES teve a sua principal força. Esta situação levou a batalhas triangulares entre ELAS, EDES e os alemães. Dado o apoio dos britânicos eo Governo Cairo grega para EDES, esses conflitos precipitou uma guerra civil. Em outubro de 1943 ELAS lançou grandes ataques contra EDES eo grupo guerrilheiro de Tsaous Anton no norte da Grécia, precipitando uma guerra civil em muitas partes da Grécia que continuaram até 1944 de fevereiro, quando os agentes britânicos na Grécia negociou um cessar-fogo (o acordo Plaka ); ELAS quebrou o acordo, atacando a 5/42 Evzone Regiment , assassinando o EKKA líder do grupo de resistência, Dimitrios Psarros , em circunstâncias ainda pouco claras e debatidas e execução de todos os cativos.

Lista de batalhas importantes

1942

1943

  • Março 1943 - A batalha de Fardykambos (juntamente com PAO, 95 italianos mortos)
  • Junho 1943 - A destruição do Túnel Kournovo (c.100 italianos mortos)
  • Julho 1943 - A batalha de Myrtia
  • O combate de Sarantaporo (99 alemães mortos)
  • A batalha de Porta (muitos italianos mortos)
  • Setembro 1943 - A batalha de Arachova

1944

  • Junho 1944 - A batalha de Steiri (40 alemães mortos)
  • Julho 1944 - A batalha de Agorelitsa (180 alemães mortos)
  • A captura de Kastoria
  • A captura de Elefsina aeroporto militar

Lista de membros importantes ELAS

Cavalaria
Guerrilhas de ELAS
Mulheres guerrilheiros da ELAS
Capturado alemães após operações na Trácia
sede ELAS na montanha Vermio, com a missão militar soviética de 1944

Esta lista contém os nomes dos líderes ELAS mais conhecidos ou membros simples, com o seu nome de guerra entre parênteses:

  • Athanasios Klaras (Aris Velouchiotis), capitão-chefe da ELAS
  • Coronel Stefanos Sarafis , especialista militar chefe da ELAS
  • Andreas Tzimas (Vasilis Samariniotis), comissário político chefe da ELAS
  • Georgios Siantos
  • Major General Neokosmos Grigoriadis (Lambros), Presidente da Comissão Central ELAS
  • O tenente-general Ptolemaios Sarigiannis , Chefe de Gabinete do Comitê Central ELAS
  • Coronel Evripídis Bakirtzís , comandante do teatro macedônio ELAS'
  • Capitão Theodoros Makridis (Ektoras), um dos oficiais de estado-chefe ELAS
  • Alexandros Rosios (Ipsilantis)
  • Markos Vafiadis , teatro macedônio
  • Nikos Beloyannis
  • Charilaos Florakis (Kapetan Jiotis)
  • Iannis Xenakis
  • Giannis Aggeletos (Leon Tzavelas), blackberet
  • Giannis Economou (Giannoutsos), blackberet
  • Panos Tzavelas
  • Evangelos Yannopoulos (Varjianis)
  • Pai Dimitrios Holevas (Papa-Holevas, Papaflessas)
  • Pai Germanos Dimakos (Papa-Anypomonos)
  • Alberto Errera
  • Fotis Mastrokostas (Thanos), blackberet
  • Kostas Kavretzis (Kostoulas Agrafiotis), blackberet
  • Babis Klaras , irmão do Aris Velouchiotis
  • Giannis Madonis (Ektoras), blackberet
  • Giannis Nikolopoulos (Leon), blackberet
  • Dimitrios Dimitriou (Nikiforos)
  • Giorgos Houliaras (Periklis)
  • Pantelis Laskas (Pelópidas), blackberet
  • Epaminontas Chairopoulos (Karaiskakis), blackberet
  • Ioannis Alexandrou (Diamantis)
  • Lambros Koumbouras (Achilleas)
  • Spyros Tsiligiannis (Lefteris Chrysiotis), blackberet
  • Kostas Athanasiou (Doulas), blackberet
  • Sarantos Kapourelakos, servindo directamente sob o comando Velouchiotis'.
  • Spyros Bekios (Lambros)
  • Dimitrios Tassos (Boukouvalas)
  • Thomas Pallas (Kozakas)
  • Nikos Xinos (Smolikas)
  • Vangelis Papadakis (Tassos Lefterias)
  • Vasilis Priovolos (Ermis)
  • Gerasimos Avgeropoulos
  • Andreas Zacharopoulos (Andreas de Patras)
  • Ioannis Hatzipanagiotou (Thomas)
  • Christós Margaritis (Armatolos)
  • Georgios Zarogiannis (Kavallaris)
  • Vasilis Ganatsios (Cheimarros)
  • Panagiotis G. Tesseris , Secretário da Guerrilla ELAS Comissão treinamento de guerra (Laconia Região)

Αftermath

No Outono de 1944, após a libertação, ELAS foi a força dominante no país e havia capturado todas as grandes cidades gregas, com exceção de Atenas (após um acordo em Caserta com o governo grego no exílio).

Após os Dekemvriana eventos, ELAS foi desarmado, embora mais tarde alguns de seus lutadores (a maioria membros KKE) entrou para o Exército Democrático durante a guerra civil.

Hino

O hino da ELAS foi escrito em Março 1944 por Sofia Mavroeidi-Papadaki e música de Nikos Tsakonas.

grego

Με το τουφέκι μου στον ώμο, σε πόλεις κάμπους και χωριά, της Λευτεριάς ανοίγω δρόμο; της στρώνω βάγια και περνά.

Εμπρός Ε.Λ.Α.Σ. για την Ελλάδα, το Δίκιο και τη Λευτεριά; σ' ακροβουνό και σε κοιλάδα, πέτα! πολέμα με καρδιά.

Ένα τραγούδι είν 'η πνοή σου, καθώς στη ράχη ροβολάς, και αντιλαλούν απ' τη φωνή σου καρδιές και κάμποι: ΕΛΑΣ! ΕΛΑΣ!

Παντού η Πατρίδα μ 'έχει στείλει, φρουρό μαζί κι εκδικητή, κι απ' την ορμή μου θ' ανατείλει καινούργια λεύτερη ζωή.

Με χίλια ονόματα, μία χάρη, ακρίτας ειτ' αρματολός, αντάρτης, κλέφτης, παλικάρι; πάντα ειν' ο ίδιος ο λαός.

Tradução
Com o meu rifle no ombro, em cidades planícies e aldeias, eu limpar o caminho para a Liberdade; Fiquei deitado por seu louro-folhas e Ela passa.

Março ELAS para Hellas, o direito ea liberdade; em mountainpeaks e nos vales, voar! lutar com o coração.

A música é a sua respiração, enquanto no cume você anda, e de sua voz corações ressoam e planícies: ELAS! ELAS!

Em todos os lugares do Homeland me, guarda e um vingador enviou também, e do meu ímpeto sobe uma nova vida livre.

Com milhares de nomes um charme, Akritas ou armatolos , rebelde, Klepht , rapaz; é sempre o próprio povo.

Veja também

Referências

Fontes

  • Eudes, Dominique (1973). O Kapetanios: Partidários e guerra civil na Grécia, 1943-1949 . Traduzido por John Howe. Nova York e Londres: Monthly Review Press. ISBN  978-0-85345-275-1 .
  • Grigoriadis, Solon (1982). Συνοπτική Ιστορία της Εθνικής Αντίστασης, 1941-1944 [ História Concisa da Resistência Nacional, 1941-1944 ] (em grego). Atenas: Kapopoulos.
  • Helénica Direcção Histórico do Exército (1998). Αρχεία Εθνικής Αντίστασης, 1941-1944 [ Nacional de Resistência Arquivos, 1941-1944 ]. Atenas: História Direcção Exército Helénica. ISBN  978-9607897060 .
  • Mazower, Mark (1993). Dentro Grécia de Hitler: A Experiência da Ocupação, 1941-1944 . New Haven e Londres: Yale University Press. ISBN  0-300-06552-3 .
  • Sarafis, Stefano (1951). Grega Exército de Resistência: The Story of ELAS . Londres: Livros de bétula. OCLC  993128877 .
  • Stavrianos, LS (1952). "A Frente grega de Libertação Nacional (EAM): Um Estudo em organização de resistência e Administração". O Jornal de História Moderna . 24 (1): 42-55. JSTOR  1.871.980 .
  • Vafeiadis, Markos (1985a). Απομνημονεύματα, Β' Τόμος (1940-1944) [ Memórias, Volume II (1940-1944) ] (em grego). Atenas: AA Livanis.
  • Vafeiadis, Markos (1985b). Απομνημονεύματα, Γ' Τόμος (1944-1946) [ Memórias, Volume III (1944-1946) ] (em grego). Atenas: AA Livanis.