Mitsuo Fuchida - Mitsuo Fuchida


Da Wikipédia, a enciclopédia livre
Mitsuo Fuchida
淵田美津雄
MitsuoFuchida.jpg
Capitão Mitsuo Fuchida
Nascermos 03 de dezembro de 1902
Prefeitura de Nara , Japão
Morreu 30 de maio de 1976 (73 anos) Kashiwara , perto de Osaka , Japão ( 1976/05/31 )
Fidelidade  Japão
Serviço / ramo  Marinha Imperial Japonesa
Anos de serviço 1924-1945
Classificação Capitão
Unidade 1ª Frota Aérea
comandos realizada Akagi : 1 (flag), 2º e 3º esquadrões aéreos
Batalhas / guerras Segunda Guerra Mundial
Outro trabalho
Fuchida em treinamento para o ataque a Pearl Harbor

Mitsuo Fuchida ( 淵田美津雄Fuchida Mitsuo , 03 de dezembro de 1902 - 30 de maio de 1976), foi um japonês capitão na Marinha Imperial Japonesa Air Service e um aviador bombardeiro na marinha japonesa antes e durante a II Guerra Mundial . Ele é talvez melhor conhecido por liderar a primeira onda de ar ataques a Pearl Harbor em 7 de dezembro de 1941. Trabalhando sob o comandante geral da frota, o vice-almirante Chuichi Nagumo , Fuchida foi responsável pela coordenação de todo o ataque aéreo.

Após a guerra terminou, Fuchida se tornou um cristão evangelista e viajou através dos Estados Unidos e da Europa para contar sua história. Ele se estabeleceu definitivamente nos Estados Unidos (embora ele nunca se tornou um cidadão dos EUA).

Infância e educação

Mitsuo Fuchida nasceu no que hoje é parte de Katsuragi , Nara , Japão para Yazo e Shika Fuchida em 3 de dezembro de 1902. Ele entrou na Academia Naval Imperial Japonês em Etajima , Hiroshima , em 1921, onde fez amizade com colega Minoru Genda e descobriu uma interesse em voar. Formou-se como aspirante em 24 de Julho de 1924, e foi promovido a alferes em 1 de Dezembro 1925 e a sub-tenente no dia 1 de dezembro de 1927. Ele foi promovido a tenente em 1 de Dezembro de 1930. Especializada em bombardeio horizontal, Fuchida foi feito um instrutor em que a técnica em 1936. ele ganhou experiência em combate durante a segunda Guerra Sino-japonesa , quando ele foi designado para o porta-aviões Kaga em 1929 e depois para o Grupo Air Sasebo, ele foi promovido a tenente-comandante em 1 de Dezembro de 1936 e foi aceito no o Staff College Naval . Fuchida juntou-se o porta-aviões Akagi em 1939 como o comandante do grupo ar. Fuchida foi nomeado comandante em outubro de 1941.

Segunda Guerra Mundial

pearl Harbor

No domingo, 7 de dezembro, 1941, uma força japonesa sob o comando do Vice-Almirante Chuichi Nagumo -consisting de seis operadoras com 423 aeronaves de estava pronto para atacar a base dos Estados Unidos em Pearl Harbor , Havaí. Às 06:00, a primeira onda de 183 bombardeiros de mergulho , torpedeiros , bombardeiros horizontais e lutadores decolou de portadores 250 mi (400 km) ao norte de Oahu e se dirigiu para o US Pacific Fleet em Pearl Harbor.

Às 07:40 Horário padrão havaiano, Mitsuo Fuchida, que por esta altura tinha alcançado o posto de comandante , chegou com a primeira onda de ataque na costa norte de Oahu perto de Kahuku Point. A primeira onda de ataque, em seguida, depositado a oeste e voaram ao longo da costa noroeste. Fuchida ordenou " Tenkai " (Take posição de ataque), e ao vê nenhuma atividade dos EUA em Pearl Harbor, Fuchida deslizou para trás o dossel de sua Nakajima B5N 2 torpedo bombardeiro, tailcode AI-301 , e disparou um único alargamento azul escuro conhecido como um " dragão negro", o sinal para atacar.

Passando Waimea Bay at 07:49, Fuchida instruiu seu operador de rádio, Petty Officer 1st Class Norinobu Mizuki, para enviar o sinal codificado " To, To, To" ( totsugekiseyo - "a cobrar") para a outra aeronave. Fuchida, pensando Zeroes do Lt Cmdr Shigeru Itaya tinha perdido o sinal, disparou um segundo surto. Lt Cmdr Kakuichi Takahashi, líder geral dos primeiros bombardeiros onda de mergulho, viu ambos os flares e incompreendido o sinal. Pensando o mergulho bombardeiros eram para atacar, ele levou seus bombardeiros de mergulho em posição de ataque imediato. Lt Cmdr Shigeharu Murata, líder global dos torpedeiros, observou ambos os flares e viu aviões de Takahashi planando em formação de ataque. Ele sabia que havia um mal-entendido que não poderia ser corrigida, por isso ele levou seus torpedeiros em posições de ataque. Neste ponto, o piloto do comandante Fuchida, tenente Mitsuo Matsuzaki, guiado sua bombardeiro juntamente com os bombardeiros horizontais restantes em uma varredura de formação em torno de Keana Ponto e desceu a costa oeste de Oahu.

Às 07:53, Fuchida ordenou Mizuki para enviar as palavras de código " Tora! Tora! Tora! " De volta para a transportadora Akagi , o carro-chefe da 1ª Frota Aérea. A mensagem significava que completa surpresa tinha sido alcançado. Devido às condições atmosféricas favoráveis, a transmissão da " Tora! Tora! Tora! " Palavras de código do transmissor moderadamente alimentado foram ouvidas através do rádio de um navio no Japão pelo almirante Isoroku Yamamoto , comandante naval durante a guerra, e sua equipe, que estavam sentados -se através da palavra noite aguardando no ataque.

À medida que a primeira onda devolvida para os transportadores, Fuchida permaneceu sobre o alvo para avaliar os danos e observar o ataque da segunda onda. Ele voltou ao seu portador somente após a segunda onda tinha completado a sua missão. Com grande orgulho, ele anunciou que a frota de navio de guerra dos EUA havia sido destruído. Fuchida inspeccionado o seu ofício e encontrado grandes 21 à prova de bala furos: os principais condutores de controlo foram mal segurando juntos. O ataque bem sucedido feito Fuchida um herói nacional que foi concedida uma audiência pessoal com o imperador Hirohito .

Outras ações

Em 19 de Fevereiro de 1942, Fuchida liderou a primeira de duas ondas de 188 aeronaves em um devastador ataque aéreo em Darwin, Austrália . Em 5 de abril, ele levou outra série de ataques aéreos por aviões japoneses transportadora baseada contra Marinha Real bases em Ceilão , que foi a sede da britânica Oriental Fleet , no que Winston Churchill descreveu como "o momento mais perigoso" da Segunda Guerra Mundial .

Em 4 de junho de 1942, enquanto a bordo Akagi , Fuchida foi ferido na Batalha de Midway . Incapaz de voar enquanto se recuperava de um bordo de emergência apendicectomia alguns dias antes da batalha, ele estava na ponte do navio durante os ataques manhã por aviões dos EUA. Depois Akagi foi atingido, uma reação em cadeia da queima de combustível e bombas ao vivo começou a destruição do navio. Quando chamas bloqueou a saída da ponte, os policiais evacuaram por uma corda, e como Fuchida deslizou para baixo, uma explosão o jogou para o convés e quebrou os dois tornozelos.

oficial de pessoal

Depois de passar vários meses se recuperando, Fuchida passou o resto da guerra no Japão como um oficial de pessoal . Em outubro de 1944, ele foi promovido a capitão. O dia antes da primeira bomba atômica foi lançada sobre Hiroshima , ele estava na cidade para assistir a uma conferência militar de uma semana com exército japonês oficiais. Fuchida recebeu um telefonema de longa distância a partir da marinha sede pedindo-lhe para voltar para Tóquio . O dia após o bombardeio, ele voltou para Hiroshima com um grupo enviado para avaliar os danos. Todos os membros do partido de Fuchida mais tarde morreu de envenenamento por radiação , mas Fuchida não apresentaram sintomas. A carreira militar de Fuchida finalizar a sua desmobilização em novembro de 1945.

atividades pós-guerra

Após a guerra, Fuchida foi chamado a testemunhar no julgamento de alguns dos militares japoneses para crimes de guerra japoneses . Isso enfureceu ele como ele acreditava que este era pouco mais que "vencedores justiça". Na primavera de 1947, convencido de que os EUA tinham tratado os japoneses da mesma maneira e determinado a trazer essa evidência para o próximo julgamento, Fuchida foi para Uraga Harbour perto de Yokosuka para atender um grupo de retornar prisioneiros de guerra japoneses. Ele ficou surpreso ao encontrar seu ex-engenheiro de vôo, Kazuo Kanegasaki, que todos tinham acreditado tinham morrido na batalha de Midway. Quando questionado, Kanegasaki disse Fuchida que não foram torturados ou abusados, para grande surpresa de Fuchida, e, em seguida, passou a dizer-lhe de uma jovem senhora, Peggy Covell, que eles servido com o amor e mais profundo respeito, mas cujos pais, missionários, tinha sido morto por soldados japoneses na ilha de Panay no Filipinas .

Para Fuchida, este era inexplicável, como no Bushido vingança código não só era permitido, era "uma responsabilidade" para uma parte ofendida para realizar a vingança para restaurar a honra. O assassino de seus pais seria um inimigo jurado para a vida. Tornou-se quase obcecado tentando entender por que alguém iria tratar seus inimigos com amor e perdão.

No outono de 1948, Fuchida estava passando pela estátua de bronze de Hachikō na Estação de Shibuya quando ele foi entregue um panfleto sobre a vida de Jacob DeShazer , um membro da Raid Doolittle que foi capturado pelos japoneses depois de seu B-25 bombardeiro ficou sem combustível a China ocupada. No panfleto, "Eu era um prisioneiro do Japão" DeShazer, um ex- Forças Aéreas do Exército dos Estados Unidos sargento e Bombardier , contou sua história de prisão, tortura e sua conta de um "despertar a Deus." Esta experiência aumentou a curiosidade da fé cristã de Fuchida. Em setembro de 1949, depois de ler a Bíblia por si mesmo, ele se tornou um cristão. Em maio de 1950, Fuchida e DeShazer reuniu-se pela primeira vez. Fuchida criou o Capitão Fuchida Evangelistical Association com sede em Seattle, Washington e falou em tempo integral de sua conversão à fé cristã em apresentações intitulado "De Pearl Harbor ao calvário".

Em 1951, Fuchida, junto com um colega, publicou um relato da batalha de Midway do lado japonês. Em 1952, ele visitou os Estados Unidos como um membro da Christian Exército Missionário Mundial de Céu Pilots. Fuchida permaneceu dedicado a uma iniciativa semelhante como o grupo para o restante de sua vida.

Em fevereiro de 1954, Readers Digest publicou história do ataque a Pearl Harbor de Fuchida. Fuchida também escreveu e co-escreveu livros, incluindo A partir Pearl Harbor ao Gólgota , aka De Pearl Harbor para o Calvário , e um 1955 de expansão de seu 1951 livro Midway , aka Midway: A batalha que Doomed Japão, a história da marinha japonesa . Sua autobiografia, intitulada "Shinjuwan kōgeki não Sotaicho não Kaiso", foi publicado no Japão em 2007. Este foi traduzido para o Inglês por Douglas Shinsato e Tadanori Urabe e publicado em 2011 sob o título: "Para que um dia: As Memórias de Mitsuo Fuchida , comandante do ataque a Pearl Harbor". A história de Fuchida também é contada em Samurai de Deus: Pilot chumbo em Pearl Harbor por Donald Goldstein, Katherine V. Dillon e Gordon W. Prange.

De acordo com o filho de Fuchida, seu pai tinha um cartão verde permitindo a residência permanente nos EUA , mas ele nunca obteve a cidadania dos EUA. Isto é contrário às afirmações de vários autores.

Fuchida morreu de complicações causadas por diabetes em Kashiwara , perto de Osaka em 30 de maio de 1976 com a idade de 73.

trabalhos publicados

Fuchida foi o autor de três livros, um sobre a Batalha de Midway , um um livro de memórias , e outro à sua conversão ao cristianismo .

  • Midway: A batalha que condenou o Japão, a história da marinha japonesa foi co-autoria com masatake okumiya . Em uma seção intitulada "Cinco Fateful Minutes", Fuchida (como traduzido) escreve: "Cinco minutos! Quem teria acreditado que a maré da batalha mudaria naquele breve intervalo de tempo? ... Nós tinha sido apanhado desprevenido no mais vulneráveis de condição possíveis-plataformas carregadas com aviões armado e alimentada para o ataque ". Bolsa mais tarde (Parshall et al.) Descrição disputa do Fuchida.
  • Para que um dia: As Memórias de Mitsuo Fuchida, o comandante do ataque a Pearl Harbor foi seu livro de memórias. Nele, Fuchida faz uma reivindicação que não foi corroborada por outros: ". Em meu papel como funcionários da General Sede da Marinha, fui designado tarefas diversas para ajudar os preparativos do lado japonês Desde que eu não era um adido oficial, eu estava assistindo a cerimónia de assinatura do andar superior junto com as tripulações do USS Missouri ".
  • De Pearl Harbor ao Calvário , originalmente publicado como a partir de Pearl Harbor ao Gólgota , é a história da conversão cristã do Fuchida.

controvérsia histórica

Fuchida foi uma figura importante na parte inicial da Guerra do Pacífico, e seus relatos escritos, traduzidos em Inglês e publicado nos EUA, foram muito influentes. No entanto, a veracidade das declarações da Fuchida sobre uma variedade de tópicos foi posteriormente posta em causa. Esse processo começou no Japão em 1971, com a publicação do volume história da guerra oficial japonês na batalha de Midway , o que contrariou explicitamente a versão de Fuchida de eventos. Em 2001, os historiadores HP Willmott e Haruo Tohmatsu em sua Pearl Harbor , rejeitou a interpretação de Fuchida de ter exigiu uma terceira onda contra tanques de combustível de Pearl Harbor como "flagrante e descarada auto-propaganda" sobre "um episódio que nunca aconteceu." Estas críticas foram repetidas pelo historiador Jonathan Parshall e de Mark Stille Tora! Tora! Tora! Pearl Harbor 1941 . 2011 de Alan Zimm Attack on Pearl Harbor: Estratégia, Combate, Mitos, Decepções , reforçado e ampliado essas críticas anteriores e acrescentou novas acusações, incluindo Fuchida ter fabricado uma avaliação de danos de batalha que foi apresentado ao Imperador Hirohito . Zimm posteriormente acusado Fuchida de mentir sobre decisões e sinais que ele fez como líder greve imediatamente antes do ataque importantes, enquanto que culpar os outros por seus próprios erros. Com relação à Batalha de Midway , em conta a disponibilidade da aeronave contra-ataque japonês durante o ataque de mergulho-bombardeiro americano da Fuchida tem sido contestada por historiadores Parshall e Anthony Tully em seu trabalho 2005 quebrou a espada , bem como de Dallas Isom Midway Inquest , e Craig Symonds A batalha de Midway . Parshall também contestou alegações não corroboradas de Fuchida de atendimento no encouraçado USS  Missouri durante a cerimônia de rendição japonesa em 1945, essas críticas sendo posteriormente amplificado por Zimm. A versão de Fuchida de alguns desses eventos tem, no entanto, sido defendido pelo escritor Martin Bennett.

Quando perguntado o que seus pontos de vista do bombardeio de Hiroshima são, Fuchida afirmou que, embora "foi um desastre", foi a sua crença de que "ele salvou meio milhão de vidas".

retratos

No filme 1970 Tora! Tora! Tora! , Fuchida foi retratado pelo ator japonês Takahiro Tamura .

Leilão

Mapa desenhado à mão de Fuchida mostrando a destruição pós-ataque de Pearl Harbor vendido em leilão por US $ 425.000, em Nova York, em 6 de Dezembro de 2013. O mapa tinha sido anteriormente propriedade de Malcolm Forbes .

Referências

Notas

Citations

Bibliografia

  • Agawa, Hiroyuki (2000). The Reluctant Almirante: Yamamoto e da Marinha Imperial . Tóquio: Kodansha International. ISBN  4-7700-2539-4 .
  • Bennett, Martin (Inverno 2013). "De Parshall 'Whoppers' Examinado: Fact-Verificação das várias demandas e conclusões de Jonathan Parshall" . Naval War comentário faculdade . Newport, Rhode Island: Naval War College dos EUA. 66 (1): 110-125. Arquivado do original em 31 de março de 2013 . Retirado 13 de Julho de 2013 .
  • Bennett, Martin (Verão de 2013). "Fireside Chats e Coelhos Chasing" . Naval War comentário faculdade . Newport, Rhode Island: Naval War College dos EUA. 66 (3): 155-157. Arquivado do original em 10 de outubro de 2013 . Retirado 13 de Julho de 2013 .
  • "Capt. Mitsuo Fuchida (1902-1976)" . Além do filme: Pearl Harbor . National Geographic Society . Arquivado do original em 13 outubro de 2012 . Retirado 13 de Julho de 2013 .
  • Coffman, Elesha (8 agosto 2008). "Além Pearl Harbor" . História Cristã . Christianity Today . Retirado 13 de Julho de 2013 .
  • DeShazer, Jacob (1950). "Eu era um prisioneiro do Japão" . personal.georgiasouthern.edu . Georgia Southern University. Arquivado do original em 19 de julho, 2011 . Retirado 13 de Julho de 2013 .
  • Fuchida, Mitsuo (1953). "De Pearl Harbor ao Calvário" . biblebelievers.com . Retirado 13 de Julho de 2013 .
  • Fuchida, Mitsuo (Fevereiro de 1954). "Eu liderou o ataque a Pearl Harbor". Readers Digest . 64 (382).
  • Fuchida, Mitsuo; Okumiya, Masatake (1955). Midway: A batalha que condenou o Japão, a história da marinha japonesa . Annapolis, Maryland: Naval Institute Press. Biblioteca do Congresso Cartão Catalog No. 55-9027.
  • Fuchida, Mitsuo; Okumiya, Masatake (1976) [1955]. Clark K. Kawakami, ed. Midway: A batalha que Doomed Japão, a história da marinha japonesa . Annapolis, Maryland: Naval Institute Press. ISBN  0-87021-372-5 .
  • Fuchida, Mitsuo (2011). Para que um dia: As Memórias de Mitsuo Fuchida, comandante do ataque a Pearl Harbor (ebook) |format=requer |url=( ajuda ) . Traduzido por Douglas T. Shinsato; Tadanori Urabe. Waimea, Hawaii: Experiência, Inc. ISBN  978-0-9846745-0-3 .
  • Fuchida, Mitsuo (2011). Para que um dia: As Memórias de Mitsuo Fuchida, comandante do ataque a Pearl Harbor (ebook) |format=requer |url=( ajuda ) . Traduzido por Douglas T. Shinsato; Tadanori Urabe. Waimea, Hawaii: Experiência, Inc. ISBN  0-9846745-0-0 .
  • Goldstein, Donald; Dillon, Katherine V .; Prange, Gordon W. (2003). Samurai de Deus: Chumbo Cabine do piloto em Pearl Harbor . Os guerreiros. Washington, DC: Potomac. ISBN  1-57488-695-9 .
  • Isom, Dallas (2007). Inquest Midway . Bloomington, Indiana: Indiana University Press. ISBN  978-0-253-34904-0 .
  • Japão (1971). Boeicho Boeikenshujo Senshibu (originalmente, "Boeicho Boeikenshujo Senshishitsu"), também conhecido como "Senshi Sosho" (History War) série. Midowei Kaisen (Midway Batalha Naval). Vol. 43 . Tóquio: Asagumo Shimbunsha.
  • Karpicky, Gregory (17 Dezembro 2005). "Pearl Harbor - "Tiger, Tiger, Tiger " " . História Militar Online.com . Retirado 13 de Julho de 2013 .
  • Parshall, Jonathan; Tully, Anthony (2005). Despedaçado Sword: The Untold Story da Batalha de Midway . Dulles, Virginia: Potomac. ISBN  978-1-57488-924-6 .
  • Parshall, Jonathan (Primavera de 2010). "Refletindo sobre Fuchida, ou 'Um Conto de Três Whoppers ' " . Naval War comentário faculdade . Newport, Rhode Island: Naval War College dos EUA. 63 (2): 127-138. Arquivado do original em 27 de novembro de 2011 . Retirado 13 de Julho de 2013 .
  • Peattie, Mark R. (2001). Sunburst: The Rise of Japanese Naval Air Power 1909-1941 . Annapolis, Maryland: Naval Institute Press. ISBN  1-55750-432-6 .
  • Prange, Gordon W. (1982). At Dawn dormimos: The Untold Story of Pearl Harbor . New York: Penguin. ISBN  978-0-14-015734-5 .
  • Stille, Mark (2011). Tora! Tora! Tora! Pearl Harbor 1941 . Oxford, Inglaterra: Osprey Publishing. ISBN  978-1-84908-509-0 .
  • Symonds, Craig (2013). A batalha de Midway . Oxford, Inglaterra: Oxford University Press. ISBN  978-0-19-931598-7 .
  • Willmott, HP (2001). Pearl Harbor . Londres, Inglaterra: Cassell & Co. ISBN  978-0-304-35884-7 .
  • Wright, Mike (1998). O que eles não lhe ensinar sobre a Segunda Guerra Mundial . New York: Presidio Press. ISBN  0-89141-649-8 .
  • Zimm, Alan (Dezembro de 2016). "Decisão do Comandante Fuchida". História Naval . Annapolis, Virginia: Instituto Naval dos EUA. 30 (6): 16-23.
  • Zimm, Alan (2011). O ataque a Pearl Harbor: Estratégia, Combate, Mitos, Decepções . Haverton, Pensilvânia: Capa Publishing. ISBN  978-1-61200-010-7 .

links externos