Revolução Russa - Russian Revolution


Da Wikipédia, a enciclopédia livre

revolução Russa
Soldados armados carregam uma bandeira que lê 'comunismo', Nikolskaya rua, Moscou, 1917.jpg outubro
Soldados armados carregam uma bandeira lendo comunismo , Nikolskaya rua , Moscou
Encontro Revolução de Fevereiro :
8-16 março 1917
( OS 23 fevereiro - 3 março)
Revolução de Outubro :
07-08 novembro 1917
( OS 25-26 outubro)
Localização Império Russo
participantes Russian sociedade, bolcheviques , mencheviques , SRs , etc.
Resultado Revolução de Fevereiro:

Revolução de Outubro:

A Revolução Russa foi um par de revoluções em Rússia em 1917, que desmantelou a autocracia czarista e levou ao surgimento da União Soviética . O Império Russo entrou em colapso com a abdicação do imperador Nicholas II e do antigo regime foi substituído por um governo provisório durante a primeira revolução de fevereiro de 1917 (março no calendário gregoriano , o mais antigo calendário juliano estava em uso na Rússia na época). Junto com ela, surgiu assembléias comunitárias de base (chamados de ' soviéticos '), que disputavam a autoridade. Na segunda revolução que outubro, o governo provisório foi derrubado e todo poder foi dado aos soviéticos.

A Revolução de Fevereiro (Março de 1917) foi uma revolução centrada em torno de Petrogrado (agora São Petersburgo ), a capital da Rússia naquela época. No caos, membros do Parlamento Imperial (a Duma ) assumiu o controle do país, formando o governo provisório russo que foi fortemente dominada pelos interesses dos grandes capitalistas e os nobres aristocracia . A liderança do exército sentiu que eles não têm os meios para reprimir a revolução, resultando em abdicação do czar Nicholas. Os soviéticos, que foram dominadas por soldados e a classe trabalhadora industrial urbana, inicialmente permitiu que o Governo provisório para governar, mas insistiu em uma prerrogativa de influenciar o governo e controlar várias milícias . A Revolução de Fevereiro teve lugar no contexto de reveses militares pesados durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), que deixou grande parte do exército russo em um estado de motim.

Um período de duplo poder se seguiu, durante o qual o Governo Provisório realizou o poder do Estado, enquanto a rede nacional de soviéticos, liderados por socialistas , tinha a lealdade das classes mais baixas e, cada vez mais, a esquerda -leaning classe média urbana. Durante este período caótico houve motins freqüentes, protestos e muitas greves. Muitas organizações políticas socialistas estavam envolvidos em luta diária e disputavam influência dentro da Duma e os soviéticos, centro de entre os quais o bolcheviques ( "Ones da maioria"), liderado por Vladimir Lenin que fez campanha pelo fim imediato da guerra, terra os camponeses, e pão para os trabalhadores. Quando o Governo Provisório optou por continuar lutando contra a guerra com a Alemanha, os bolcheviques e outras facções socialistas foram capazes de explorar desdém praticamente universal para o esforço de guerra como justificação para avançar a revolução adiante. Os bolcheviques virou milícias dos trabalhadores sob seu controle para os Guardas Vermelhos (mais tarde, o Exército Vermelho ) sobre os quais não exerciam controle substancial.

Na Revolução de Outubro (novembro no calendário gregoriano), os bolcheviques liderou uma insurreição armada por parte dos trabalhadores e soldados em Petrogrado que com sucesso derrubou o governo provisório, transferindo toda a sua autoridade para os soviéticos com o capital a ser transferido para Moscou pouco depois. Os bolcheviques tinham garantido uma forte base de apoio dentro dos Sovietes e, como o partido agora supremo governante, estabeleceu um governo federal dedicada a reorganização do antigo império em primeiro do mundo república socialista , praticando a democracia soviética em escala nacional e internacional. A promessa de acabar com a participação da Rússia na Primeira Guerra Mundial foi homenageado prontamente com os líderes bolcheviques que assinaram o Tratado de Brest-Litovsk com a Alemanha em março de 1918. Para proteger ainda mais o novo estado, a Cheka foi estabelecido que funcionava como um serviço de segurança revolucionário que procurou eliminar e punir aqueles considerados "inimigos do povo" em campanhas conscientemente modelados em eventos semelhantes durante a Revolução Francesa .

Logo depois, a guerra civil eclodiu entre os "vermelhos" (bolchevique), os " brancos " ( contra-revolucionários ), os movimentos de independência e os socialistas não-bolcheviques . Ele continuou por vários anos, durante os quais os bolcheviques derrotados ambos os brancos e todos os socialistas rivais e, posteriormente,-se reconstituídos como o Partido Comunista . Desta forma, a Revolução abriu o caminho para a criação da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) em 1922. Enquanto muitos eventos históricos notáveis ocorreram em Moscou e Petrogrado, havia também um movimento visível em cidades em todo o estado, entre nacional minorias em todo o império e nas áreas rurais, onde os camponeses assumiu e redistribuídos terra.

fundo

Soldados bloqueio Narva Portão em Bloody Sunday

A Revolução Russa de 1905 foi dito ser um fator importante que contribui para a causa das revoluções de 1917. Os acontecimentos de domingo sangrento provocou protestos em todo o país e motins soldado. Um conselho de trabalhadores chamado de St. Petersburg Soviética foi criado neste caos. Enquanto a Revolução de 1905 acabou por ser esmagado, e os líderes do St. Petersburg Soviética foram presos, este lançou as bases para a posterior Soviete de Petrogrado e de outros movimentos revolucionários durante o leadup de 1917. A Revolução de 1905 também levou à criação de uma Duma (parlamento), que mais tarde iria formar o Governo provisório seguinte fevereiro 1917.

A eclosão da Primeira Guerra Mundial solicitado clamor geral dirigida ao czar Nicolau II ea família Romanov . Enquanto a nação foi inicialmente envolvido em uma onda de nacionalismo, um número crescente de derrotas e más condições logo virou opinião da nação. O czar tentou remediar a situação, assumindo o controle pessoal do exército em 1915. Isto provou ser extremamente desvantagens para o czar, como ele foi agora realizada pessoalmente responsável por derrotas e perdas contínuas da Rússia. Além disso, a czarina Alexandra , da esquerda para governar enquanto o czar ordenou na frente, era alemão nascido, levando à suspeita de conluio, apenas para ser exacerbada por rumores relacionados com a sua relação com o místico controversa Grigori Rasputin . A influência de Rasputin levou a nomeações ministeriais desastrosas e corrupção, resultando em um agravamento das condições dentro da Rússia. Isso levou a insatisfação geral com a família Romanov, e foi um fator importante que contribui para a retaliação dos comunistas russos contra a família real.

Após a entrada do Império Otomano no lado das Potências Centrais em outubro de 1914, a Rússia foi privado de uma importante rota comercial através do Dardanelos , o que contribuiu ainda mais para a crise econômica, em que a Rússia se tornou incapaz de fornecer munições para o exército em os anos que antecederam a 1917. no entanto, os problemas eram basicamente administrativa, não industrial, a Alemanha foi capaz de produzir grandes quantidades de munições, enquanto constantemente lutando em duas principais frentes de batalha.

As condições durante a guerra resultou em uma devastadora perda de moral dentro do exército russo ea população em geral da própria Rússia. Isto foi particularmente evidente nas cidades, devido à falta de alimentos em resposta ao rompimento da agricultura. A escassez de alimentos tornou-se um problema considerável na Rússia, mas a causa desta não mentiu em qualquer fracasso das colheitas , que não havia sido significativamente alterados durante a guerra. A razão indireta foi que o governo, a fim de financiar a guerra, milhões impressas do rublo notas, e em 1917, a inflação havia feito aumentar os preços até quatro vezes o que eles tinham estado em 1914. Os agricultores foram, consequentemente, confrontados com um custo mais elevado de vivo, mas com pouco aumento na renda. Como resultado, eles tendem a acumular seus grãos e para reverter para a agricultura de subsistência . Assim, as cidades eram constantemente com falta de alimentos. Ao mesmo tempo, o aumento dos preços levou a demandas por maiores salários nas fábricas, e em janeiro e fevereiro de 1916, revolucionário propaganda , em parte ajudado por fundos alemães, levou a greves generalizadas. Isto resultou em uma crítica crescente do governo, incluindo um aumento da participação dos trabalhadores nos partidos revolucionários.

Partidos liberais também tiveram um aumento plataforma para expressar suas queixas, como o fervor inicial da guerra resultou no governo czarista criando uma variedade de organizações políticas. Em julho de 1915, uma Comissão de Guerra Indústrias Central foi estabelecida sob a presidência de um proeminente outubrista , Alexander Guchkov (1862-1936), incluindo representantes de dez trabalhadores. O Petrogrado mencheviques concordaram em juntar-se apesar das objeções de seus líderes no exterior. Toda essa atividade deu renova o incentivo às ambições políticas, e em setembro de 1915, uma combinação de outubristas e cadetes na Duma exigiu a formação de um governo responsável. que o czar rejeitado.

Todos esses fatores tinha dado origem a uma perda acentuada de confiança no regime, mesmo dentro da classe dominante, que cresce ao longo da guerra. No início de 1916, Guchkov discutido com oficiais superiores do exército e membros do Conselho de Guerra Indústrias do Central sobre um possível golpe para forçar a abdicação do czar. Em dezembro, um pequeno grupo de nobres assassinado Rasputin , e Em janeiro de 1917 o tio do czar, o grão-duque Nicolau , foi perguntado indiretamente pelo príncipe Lvov se ele estaria preparado para assumir o trono de seu sobrinho, o czar Nicolau II. Nenhum destes incidentes foram em si mesmos a causa imediata da Revolução de Fevereiro, mas eles ajudam a explicar por que a monarquia sobreviveram apenas alguns dias depois de ter estourado.

Enquanto isso, os líderes socialistas revolucionários no exílio, muitos deles vivendo em Suíça , tinham sido os espectadores sombrios do colapso da solidariedade socialista internacional. Franceses e alemães social-democratas haviam votado a favor dos esforços de guerra de seus respectivos governos. Georgi Plekhanov em Paris tinha adotado uma posição violentamente anti-alemão, enquanto Alexander Parvus apoiou o esforço de guerra alemão como o melhor meio de garantir uma revolução na Rússia. Os mencheviques em grande parte mantido que a Rússia tinha o direito de defender-se contra a Alemanha, embora Julius Martov (a menchevique proeminente), agora no lado esquerdo do seu grupo, exigiu o fim da guerra e um acordo sobre a base da auto-determinação nacional, sem anexações ou indenizações .

Foram esses pontos de vista de Martov que predominavam em um manifesto redigido por Leon Trotsky (na época um menchevique) em uma conferência em Zimmerwald , com a participação de 35 líderes socialistas em setembro de 1915. Inevitavelmente Vladimir Lenin, apoiado por Zinoviev e Radek , fortemente contestada eles. Suas atitudes tornaram-se conhecidos como a esquerda de Zimmerwald. Lenin rejeitou tanto a defesa da Rússia e do grito de paz. Desde o Outono de 1914, ele tinha insistido em que "do ponto de vista da classe operária e das massas trabalhadoras do mal menor seria a derrota do czarista Monarquia"; a guerra deve ser transformado em uma guerra civil dos soldados proletários contra seus próprios governos, e se uma vitória proletária deve emergir deste na Rússia, em seguida, seu dever seria para travar uma guerra revolucionária pela libertação das massas em toda a Europa.

mudanças econômicas e sociais

soldados russos marcham em Petrogrado em fevereiro de 1917

Uma teoria elementar da propriedade, considerado por muitos camponeses, era que a terra deve pertencer a pessoas que trabalham nela. Ao mesmo tempo, a vida camponesa e cultura foi mudando constantemente. Mudança foi facilitada pelo movimento físico de um número crescente de moradores de camponeses que migraram de e para ambientes industriais e urbanas, mas também pela introdução da cultura da cidade para a aldeia através de bens materiais, a imprensa, e de boca em boca.

Os trabalhadores também tiveram boas razões para descontentamento: habitação superlotada com condições sanitárias deploráveis, muitas vezes, longas horas no trabalho (na véspera da guerra, um dia de trabalho de 10 horas, seis dias por semana foi a média e muitos estavam trabalhando 11-12 horas por dia em 1916), constante risco de ferimentos e morte por falta de segurança e condições sanitárias, disciplina severa (não apenas regras e multas, mas os punhos de capatazes), e os salários inadequados (agravada depois de 1914 por aumentos do tempo de guerra íngremes no custo de vida). Ao mesmo tempo, a vida industrial urbana teve seus benefícios, ainda que estes poderiam ser tão perigoso (em termos de estabilidade social e política) como as dificuldades. Havia muitos encorajamentos para esperar mais da vida. Aquisição de novas competências deu muitos trabalhadores um sentimento de auto-estima e confiança, aumentando as expectativas e desejos. Vivendo em cidades, os trabalhadores encontraram bens materiais que nunca tinha visto em aldeias. Mais importante, os trabalhadores que vivem em cidades foram expostos a novas idéias sobre a ordem social e política.

As causas sociais da Revolução Russa podem ser derivadas de séculos de opressão das classes baixas por parte do regime czarista e falhas de Nicholas na Primeira Guerra Mundial I. Enquanto camponeses agrárias rurais tinham sido emancipado de servidão em 1861, eles ainda se ressentiu pagando pagamentos de resgate ao estado, e exigiu concurso comunal da terra trabalhavam. O problema foi agravado pelo fracasso de Sergei Witte reforma agrária 's do início do século 20. Aumentar revoltas camponesas e revoltas por vezes reais ocorreu, com o objetivo de garantir a propriedade da terra que trabalhou. Rússia consistia principalmente de pobres camponeses agrícolas e desigualdade substancial da propriedade da terra, com 1,5% da população possuir 25% da terra.

A rápida industrialização da Rússia também resultou na superlotação urbana e condições precárias para trabalhadores industriais urbanos (como mencionado acima). Entre 1890 e 1910, a população da capital, São Petersburgo, cresceu de 1.033.600 para 1.905.600, com Moscou experimentando um crescimento similar. Isto criou um novo 'proletariado', que, devido a ser amontoados nas cidades, era muito mais provável para protestar e fazer greve do que o campesinato tinha sido em tempos anteriores. Em um 1904 pesquisa, verificou-se que uma média de dezesseis pessoas compartilharam cada apartamento em São Petersburgo, com seis pessoas por quarto. Há também havia água corrente, e pilhas de dejetos humanos eram uma ameaça para a saúde dos trabalhadores. As condições pobres só agravou a situação, com o número de ataques e incidentes de desordem pública a aumentar rapidamente nos anos pouco antes da Primeira Guerra Mundial I. Devido à industrialização tardia, os trabalhadores da Rússia foram altamente concentrado. Em 1914, 40% dos trabalhadores russos foram empregadas em fábricas de mais de 1.000 trabalhadores (32% em 1901). 42% trabalhou em 100-1.000 empresas de trabalho, 18% em 1-100 empresas de trabalho (nos EUA, 1914, os valores foram de 18, 47 e 35, respectivamente).

Anos ataques médios anuais
1862-1869 6
1870-1884 20
1885-1894 33
1895-1905 176

Primeira Guerra Mundial adicionado ao caos. Conscription em toda a Rússia resultou em cidadãos não estão dispostos a ser enviado para a guerra. A grande demanda de produção da fábrica de material de guerra e trabalhadores resultou em muitos outros distúrbios trabalhistas e greves. Conscription despojado trabalhadores qualificados das cidades, que tiveram de ser substituídos por camponeses não qualificados. Quando a fome começou a bater devido ao sistema ferroviário pobres, trabalhadores abandonaram as cidades em massa em busca de alimento. Finalmente, os próprios soldados, que sofreram com a falta de equipamentos e proteção contra os elementos, começou a se voltar contra o czar. Isto foi principalmente porque, como o progresso da guerra, muitos dos oficiais que eram leais ao czar foram mortos, sendo substituídos por recrutas descontentes das principais cidades que tinham pouca lealdade ao czar.

Questões políticas

Muitas partes do país tinha motivos para estar insatisfeito com a autocracia existente. Nicolau II foi uma régua profundamente conservador e mantido um sistema autoritário rigorosa. Indivíduos e da sociedade em geral eram esperados para mostrar auto-contenção, a devoção a comunidade, deferência para com a hierarquia social e um senso de dever para com o país. A fé religiosa ajudou a ligar todos estes princípios em conjunto, como uma fonte de conforto e segurança em face de condições difíceis e como um meio de autoridade política exercida através do clero. Talvez mais do que qualquer outro monarca moderno, Nicholas II anexado o seu destino e o futuro de sua dinastia à noção do governante como um pai santa e infalível para o seu povo.

Esta visão da monarquia dos Romanov o deixou inconsciente do estado de seu país. Com uma firme convicção de que o seu poder para governar foi concedida pelo direito divino , Nicholas assumiu que o povo russo foram dedicados a ele com lealdade inquestionável. Esta crença férrea prestados Nicholas dispostos a permitir que as reformas progressistas que poderia ter aliviado o sofrimento do povo russo. Mesmo após a Revolução de 1905 estimulou o czar ao Decreto direitos civis limitados e representação democrática, ele trabalhou para limitar até mesmo essas liberdades a fim de preservar a autoridade máxima da coroa.

Apesar opressão constante, o desejo das pessoas para a participação democrática nas decisões do governo era forte. Desde o Age of Enlightenment , intelectuais russos promoveram ideais do Iluminismo, como a dignidade da pessoa humana e da retidão de representação democrática. Estes ideais foram defendido mais veementemente por liberais da Rússia, embora populistas, marxistas e anarquistas também alegou para apoiar as reformas democráticas. Um movimento crescente oposição tinha começado a desafiar a monarquia dos Romanov abertamente bem antes da turbulência da Primeira Guerra Mundial

Insatisfação com autocracia russa culminou com a enorme convulsão nacional que se seguiu ao Domingo Sangrento massacre janeiro de 1905, em que centenas de manifestantes desarmados foram mortos pelas tropas do czar. Os trabalhadores responderam ao massacre com uma greve geral incapacitante, obrigando Nicholas a colocar diante do outubro Manifesto , que estabeleceu um parlamento democraticamente eleito (a Duma ). Embora o czar aceito os 1906 Leis Estaduais Fundamentais um ano depois, ele posteriormente rejeitou as duas primeiras Dumas quando eles provaram não cooperativos. Esperanças não cumpridas da democracia alimentado idéias revolucionárias e explosões violentas dirigidas à monarquia.

Uma das principais justificativas do czar para arriscar guerra em 1914 foi seu desejo de restaurar o prestígio que a Rússia tinha perdido em meio aos fracassos da Guerra Russo-Japonesa . Nicholas também procurou promover um maior sentido de unidade nacional com uma guerra contra um inimigo comum e velhos. O Império Russo era uma aglomeração de diversas etnias que demonstraram sinais significativos de desunião nos anos antes da Primeira Guerra Mundial. Nicholas acredita em parte que o perigo compartilhada e tribulações de uma guerra estrangeira iria atenuar o descontentamento social sobre os problemas persistentes de pobreza, desigualdade e condições de trabalho desumanas. Em vez de restaurar a posição política e militar da Rússia, a Primeira Guerra Mundial levou ao abate de tropas russas e derrotas militares que prejudicou tanto a monarquia e sociedade russa ao ponto do colapso.

Primeira Guerra Mundial

A eclosão da guerra em agosto de 1914 serviu inicialmente para acalmar os protestos sociais e políticos predominantes, com foco hostilidades contra um inimigo externo comum, mas essa unidade patriótica não durou muito tempo. À medida que a guerra se arrastava de forma inconclusiva, guerra cansaço gradualmente teve seus efeitos. Embora muitos russos comuns juntou manifestações anti-alemães nas primeiras semanas da guerra, hostilidade em relação a Kaiser eo desejo de defender suas terras e suas vidas não se traduz necessariamente em entusiasmo pelo czar ou o governo.

Primeira grande batalha da guerra da Rússia foi um desastre; em 1914 Batalha de Tannenberg , mais de 30.000 soldados russos foram mortos ou feridos e 90.000 capturado, enquanto a Alemanha sofreu apenas 12.000 vítimas. No entanto, Austro-Húngaro forças aliadas para a Alemanha foram rechaçados profundamente na Galiza região até o final do ano. No outono de 1915, Nicholas tinha tomado o comando direto do exército, pessoalmente supervisionar principal teatro de guerra da Rússia e deixando seu ambicioso, mas incapaz esposa Alexandra no comando do governo. Denúncias de corrupção e incompetência no governo imperial começaram a surgir, ea influência crescente de Grigori Rasputin na família imperial foi amplamente ressentido.

Em 1915, as coisas tomaram um rumo crítico para o pior quando a Alemanha mudou seu foco de ataque para a frente oriental. O exército superior Alemão - melhor conduzido, melhor treinados e melhor fornecido - foi bastante eficaz contra as forças russas mal equipados, dirigindo os russos fora da Galiza, bem como da Rússia Polônia durante a Gorlice-Tarnów Ofensivo campanha. Até o final de outubro de 1916, a Rússia havia perdido entre 1.600.000 e 1.800.000 soldados, com um adicional de 2.000.000 de prisioneiros de guerra e 1.000.000 faltando, tudo perfazendo um total de cerca de 5.000.000 homens.

Estas perdas escalonamento desempenhou um papel definido nos motins e revoltas que começaram a ocorrer. Em 1916, os relatórios de confraternizar com o inimigo começou a circular. Soldados passou fome, não tinha sapatos, munições, e até mesmo armas. descontentamento galopante reduzido moral, o qual foi ainda prejudicada por uma série de jogos militares.

As tropas russas esperam ataque alemão em trincheiras

as taxas de acidentes foram o sinal mais vívida deste desastre. Até o final de 1914, apenas cinco meses na guerra, cerca de 390.000 homens russos perderam suas vidas e quase 1.000.000 ficaram feridas. Muito mais cedo do que o esperado, os recrutas inadequadamente treinados foram chamados para o serviço ativo, um processo repetido durante toda a guerra como perdas escalonamento continuaram a aumentar. A classe de oficiais também viu mudanças notáveis, especialmente dentro dos escalões inferiores, que foram rapidamente preenchidas com soldados subindo na hierarquia. Estes homens, geralmente de camponeses ou a classe trabalhadora, estavam a desempenhar um grande papel na politização das tropas em 1917.

O exército rapidamente correu curto de fuzis e munições (bem como uniformes e alimentos), e em meados de 1915, os homens estavam sendo enviado para a frente rolamento sem braços. Esperava-se que eles pudessem equipar-se com armas recuperadas de soldados caídos, de ambos os lados, nos campos de batalha. Os soldados não se sentir como se eles eram valiosos, e eles se sentiram como se fossem descartáveis.

Na primavera de 1915, o exército estava em retirada constante, o que nem sempre foi ordenada; deserção, pilhagem, ea fuga caótica não eram incomuns. Em 1916, no entanto, a situação tinha melhorado em muitos aspectos. As tropas russas parou de recuar, e houve mesmo alguns sucessos modestos nos ofensivas que foram encenadas naquele ano, embora a grande perda de vidas. Além disso, o problema da escassez foi amplamente resolvido através de um grande esforço para aumentar a produção doméstica. No entanto, até o final de 1916, o moral dos soldados era ainda pior do que tinha sido durante o grande retiro de 1915, . A sorte da guerra pode ter melhorado, mas o fato da guerra permaneceu que continuamente tomou vidas russas. A crise na moral (como foi argumentado por Allan Wildman, um historiador líder do exército russo na guerra e revolução) "foi enraizada fundamentalmente no sentimento de desespero que a matança nunca iria acabar e que qualquer coisa que se assemelha a vitória poderia ser alcançado."

A guerra se não só devastar soldados. Até o final de 1915, havia sinais múltiplos que a economia estava quebrando sob a pressão elevada da demanda em tempo de guerra. Os principais problemas foram a escassez de alimentos eo aumento dos preços. Inflação arrastado rendimentos para baixo a um ritmo alarmante e rápido, e a escassez tornou difícil para um indivíduo para sustentar a si mesmo. Estas faltas foram um problema especialmente na capital, St. Petersburg , onde a distância de suprimentos e redes de transporte pobres tornou as coisas particularmente pior. Lojas fechado mais cedo ou totalmente por falta de pão, açúcar, carne e outras disposições, e as linhas alongadas maciçamente para o que restava. Condições tornou-se cada vez mais difícil comprar comida e obtê-la fisicamente.

Greves aumentou de forma constante a partir de meados de 1915, e assim o fez o crime, mas, na maioria das vezes, as pessoas sofreu e suportou, vasculhando a cidade para o alimento. Que trabalham mulheres da classe em St. Petersburg teria gasto cerca de quarenta horas por semana em linhas de alimentos, implorando, voltando-se para a prostituição ou crime, derrubando cercas de madeira para manter fogões aquecidas para o calor, e continuou a ressentir-se os ricos.

Funcionários do governo responsáveis pela ordem pública preocupado sobre como paciência longos das pessoas iria durar. Um relatório pelo ramo St. Petersburg da polícia de segurança, a Okhrana , em outubro de 1916, advertiu sem rodeios de "a possibilidade no futuro próximo de motins pelas classes mais baixas do império enfurecido com os fardos da existência diária."

Czar Nicolau foi responsabilizado por todas estas crises, e o pouco apoio que lhe restava começou a desmoronar. Como o descontentamento cresceu, a Duma de Estado emitiu um alerta para Nicholas, em Novembro de 1916, afirmando que, inevitavelmente, um desastre terrível iria agarrar o país, a menos que uma forma de governo constitucional foi posto em prática. Nicholas ignorou estes avisos e regime czarista da Rússia entrou em colapso alguns meses mais tarde, durante a Revolução de Fevereiro de 1917. Um ano depois, o czar e toda sua família foram executados.

Revolução de fevereiro

Revolucionários que protestavam em fevereiro de 1917
Alemães reunidos em Terra de Ninguém
Reunião antes do embaraços Fio Russo

No início de fevereiro, de Petrogrado trabalhadores começaram várias greves e manifestações . Em 7 de março [ OS 22 de fevereiro], os trabalhadores da Putilov , a maior planta industrial de Petrogrado, anunciou uma greve.

No dia seguinte, uma série de reuniões e manifestações foram realizadas para o Dia Internacional da Mulher , que gradualmente se transformou em reuniões políticas e econômicas. As manifestações foram organizadas para exigir o pão , e estes foram apoiados pela força de trabalho industrial, que os considerou uma razão para continuar as greves. As mulheres trabalhadoras marcharam para fábricas próximas trazendo mais de 50.000 trabalhadores em greve. Até 10 de Março [ OS 25 de fevereiro], praticamente todas as empresas industriais em Petrogrado tinha sido desligado, juntamente com muitas empresas comerciais e de serviços. Estudantes, trabalhadores de colarinho branco, e os professores se juntaram aos trabalhadores nas ruas e em reuniões públicas.

Para reprimir os tumultos, o czar olhou para o exército. Pelo menos 180.000 soldados estavam disponíveis na capital, mas a maioria eram ou não treinado ou feridos. O historiador Ian Beckett sugere cerca de 12.000 poderia ser considerado como confiável, mas mesmo estes provou relutantes em avançar sobre a multidão, uma vez que incluía muitas mulheres. Foi por esta razão que em 11 de março [ OS 26 de fevereiro], quando o czar ordenou ao exército para reprimir a revolta pela força, tropas começaram a se revoltar. Embora poucos se juntou ativamente o tumulto, muitos oficiais eram ou tiro ou se esconderam; a capacidade da guarnição para conter os protestos, mas tudo foi anulado, símbolos do regime czarista foram rapidamente derrubadas em torno da cidade, e autoridade governamental na capital desabou - não ajudou o fato de que Nicholas tinha prorrogado a Duma naquela manhã, deixando-o sem autoridade legal para agir. A resposta da Duma, incitado sobre pelo bloco liberal, foi estabelecer uma Comissão Temporária para restaurar a lei ea ordem; Enquanto isso, os partidos socialistas estabeleceram o Soviete de Petrogrado para representar os trabalhadores e soldados. As unidades restantes leais comutada fidelidade no dia seguinte.

O czar dirigiu o trem real de volta para Petrogrado, que foi detido em 14 de Março [ OS 01 de marco], por um grupo de revolucionários em Malaya Vishera . Quando o czar finalmente chegou em Pskov , o chefe do exército Nikolai Ruzsky , e os deputados da Duma Alexander Guchkov e Vasily Shulgin sugeriu em uníssono que ele abdicar do trono. Ele fez isso em 15 de março [ OS 02 de março], em nome de si mesmo, e, em seguida, depois de ter seguido o conselho em nome de seu filho, o Tsarevich . Nicholas nomeou seu irmão, o Grão-Duque Miguel Alexandrovich , para sucedê-lo. Mas o grão-duque percebeu que ele teria pouco apoio como governante, para que ele se recusou a coroa em 16 de Março [ OS 03 de março], afirmando que ele iria levá-la somente se esse era o consenso de ação democrática. Seis dias depois, Nicholas, não czar e dirigida com desprezo pelos sentinelas como "Nicolau Romanov", foi reunido com sua família no Palácio de Alexander em Tsarskoye Selo . Ele foi colocado sob prisão domiciliar com sua família pelo Governo Provisório.

O efeito imediato da Revolução de Fevereiro foi uma atmosfera generalizada de euforia e excitação em Petrogrado. Em 16 de março [ OS 03 de março], um governo provisório foi anunciado. A centro-esquerda foi bem representada, eo governo foi inicialmente presidido por um aristocrata liberal, príncipe Georgy Lvov Yevgenievich , um membro do Partido Democrático Constitucional (KD). Os socialistas tinham formado seu corpo rival, o Soviete de Petrogrado (ou conselho de trabalhadores) quatro dias antes. O Soviete de Petrogrado e do Governo Provisório competiam por poder sobre a Rússia.

Entre fevereiro e ao longo de outubro: "Dual Power" ( dvoevlastie )

O poder efetivo do Governo Provisório foi desafiada pela autoridade de uma instituição que dizia representar a vontade dos trabalhadores e soldados e poderia, na verdade, mobilizar e controlar esses grupos durante os primeiros meses da revolução - o Conselho Soviete de Petrogrado dos Trabalhadores 'Deputados. O modelo para os soviéticos eram conselhos de trabalhadores que tinham sido estabelecidos em dezenas de cidades russas durante a Revolução de 1905. Em fevereiro de 1917, os trabalhadores em greve deputados eleitos para representá-los e militantes socialistas começaram a organizar um conselho municipal para unir esses deputados com representantes dos partidos socialistas. Em 27 de fevereiro, socialistas deputados da Duma, principalmente mencheviques e socialistas revolucionários, assumiu a liderança na organização de um conselho municipal. O Soviete de Petrogrado se encontraram no Palácio Tauride , o mesmo prédio onde o novo governo estava tomando forma.

Os líderes do Soviete de Petrogrado acreditava que eles representavam classes particulares da população, e não toda a nação. Eles também acreditavam Rússia não estava pronto para o socialismo. Eles viam o seu papel como limitada a pressionar "burguesia" hesitante para governar e para introduzir profundas reformas democráticas na Rússia (a substituição da monarquia por uma república, os direitos civis garantidos, uma polícia democrática e do exército, abolição da discriminação étnica e religiosa, a preparação de eleição para uma montagem dos componentes, e assim por diante). Eles se encontraram no mesmo edifício que o governo provisório emergente não competir com o Comitê Duma para o poder do Estado, mas para melhor exercer pressão sobre o novo governo, para agir, em outras palavras, como um hall de entrada democrática popular.

A relação entre estas duas grandes potências era complexo desde o início e iria moldar a política de 1917. Os representantes do Governo Provisório concordaram em "levar em conta as opiniões do Soviete de deputados operários", embora eles também estavam determinados a impedir "interferência nas ações do governo", o que criaria "uma situação inaceitável de dualidade de poder". Na verdade, este foi precisamente o que estava sendo criado, embora este "poder dual" (dvoevlastie) foi o resultado menos das ações ou atitudes dos líderes destas duas instituições do que de ações fora de seu controle, especialmente o movimento social actualmente em curso nas ruas de cidades da Rússia, fábricas, lojas, quartéis, aldeias e nas trincheiras.

A 2ª Moscow Mulheres morte Batalhão proteger o Palácio de Inverno como os últimos guardas da fortaleza.

Uma série de crises políticas - ver a cronologia abaixo - na relação entre população e governo e entre o Governo Provisório e os soviéticos (que se desenvolveram em um movimento nacional com uma liderança nacional). O Comitê Executivo Central de Toda a Rússia dos sovietes (VTsIK)) minou a autoridade do governo provisório, mas também dos líderes socialistas moderados dos soviéticos. Embora a liderança soviética inicialmente se recusou a participar do "burguesa" Governo Provisório, Alexander Kerensky , um advogado popular, jovem e um membro do Partido Socialista Revolucionário (SRP), concordou em participar do novo gabinete, e tornou-se uma figura cada vez mais central na o governo, eventualmente, assumir a liderança do governo provisório. Como ministro da guerra e mais tarde primeiro-ministro, Kerensky promoveu a liberdade de expressão, lançado milhares de prisioneiros políticos, continuou o esforço de guerra, mesmo organizar outra ofensiva (que, no entanto, não mais bem sucedidos do que seus antecessores era). No entanto, Kerensky ainda enfrenta vários grandes desafios, com destaque para os soldados, trabalhadores urbanos e camponeses, que alegou que eles tinham ganhado nada pela revolução:

  • Outros grupos políticos estavam tentando minar a ele.
  • perdas militares pesados ​​estavam sendo sofreu na frente.
  • Os soldados estavam insatisfeitos e desmoralizado e começaram a desertar. (Na chegada na Rússia, esses soldados foram presos ou enviados direto de volta para a frente.)
  • Havia enorme descontentamento com o envolvimento da Rússia na guerra, e muitos estavam pedindo um fim a isso.
  • Havia grandes escassez de alimentos e suprimentos, o que era difícil de remediar por causa das condições econômicas em tempo de guerra.

O grupo político que se mostrou mais problemático para Kerensky, e acabaria por derrubá-lo, foi o Partido Bolchevique, liderado por Vladimir Lenin . Lenin estava vivendo no exílio na Suíça neutra e, devido à democratização da política depois da Revolução de Fevereiro, que legalizou anteriormente proibiu os partidos políticos, ele percebeu a oportunidade para sua revolução marxista. Embora o retorno para a Rússia tornou-se uma possibilidade, a guerra tornou logisticamente difícil. Eventualmente, as autoridades alemãs para Lenin para passar pelo seu território, na esperança de que suas atividades enfraqueceria a Rússia ou até mesmo - se os bolcheviques chegaram ao poder - levar à retirada da Rússia da guerra. Lenin e seus associados, no entanto, teve de concordar viajar para a Rússia em um trem selado: a Alemanha não ter a chance de que ele iria fomentar a revolução na Alemanha. Depois de passar pela frente, ele chegou em Petrogrado em abril de 1917.

No caminho para a Rússia, Lenin preparou o Teses de Abril , que delineou as políticas bolcheviques centrais. Estes incluíram que os soviéticos tomar o poder (como visto no slogan "todo o poder aos sovietes") e denunciando os liberais e revolucionários sociais no Governo Provisório, proibindo a cooperação com ele. Muitos bolcheviques, no entanto, tinha apoiado o Governo Provisório, incluindo Lev Kamenev .

Rua demonstração em Nevsky Prospekt , em Petrogrado , logo após as tropas do Governo Provisório abriram fogo nas jornadas de julho
Soviéticos atacando a polícia czarista nos primeiros dias da Revolução de Março.

Com a chegada de Lenin, a popularidade dos bolcheviques aumentou de forma constante. Ao longo da primavera, a insatisfação pública com o governo provisório e da guerra, em particular entre os trabalhadores, soldados e camponeses, empurrou esses grupos para partidos radicais. Apesar do apoio crescente para os bolcheviques, impulsionado por máximas que chamaram mais famosa de "todo o poder aos sovietes", a festa realizada muito pouco poder real no moderada dominado Soviete de Petrogrado. Na verdade, os historiadores tais como Sheila Fitzpatrick têm afirmado que as exortações de Lenin para o Conselho Soviética para tomar o poder tinham a intenção de despertar a indignação tanto com o Governo Provisório, cujas políticas foram vistas como conservador, e os próprios soviéticos, que eram vistos como subservients ao O governo conservador. Pelos relatos de alguns outros historiadores, Lenin e seus seguidores não estavam preparados para como a sua onda de apoio, especialmente entre os grupos de trabalho e do soldado influentes, se traduziria em poder real no verão de 1917.

Em 18 de junho, o governo provisório lançou um ataque contra a Alemanha, que falhou miseravelmente. Logo depois, o governo ordenou soldados para ir para a frente, renegar uma promessa. Os soldados se recusaram a seguir as novas ordens. A chegada de radicais de Kronstadt marinheiros - que tinha julgado e executado muitos oficiais, incluindo um almirante - alimentou ainda mais a atmosfera revolucionária crescente. Marinheiros e soldados, junto com os trabalhadores de Petrogrado, tomaram as ruas em protesto violento, apelando para "todo o poder aos sovietes". A revolta, no entanto, foi rejeitado por líderes Lênin e os bolcheviques e dissipou-se dentro de alguns dias. Na sequência, Lenin fugiu para a Finlândia , sob ameaça de prisão, enquanto Trotsky, entre outros bolcheviques proeminentes, foi preso. As Jornadas de Julho confirmou a popularidade do anti-guerra, bolcheviques radicais, mas seu despreparo no momento da revolta foi uma gaffe embaraçosa que os perdeu apoio entre seus principais grupos constituintes: soldados e trabalhadores.

O fracasso bolchevique nas jornadas de julho provou temporária. Os bolcheviques tinham sido submetidos a um crescimento espetacular no número de membros. Considerando que, em fevereiro de 1917, os bolcheviques foram limitados a apenas 24.000 membros, em setembro de 1917, foram 200.000 membros da facção bolchevique. Anteriormente, os bolcheviques tinham sido em minoria nas duas cidades principais da Rússia-St. Petersburgo e Moscou para trás os mencheviques e os socialistas revolucionários, até setembro, os bolcheviques eram a maioria em ambas as cidades. Além disso, o Moscow Bureau Regional controlado por bolchevique do Partido também controlava as organizações do Partido das treze províncias em torno de Moscou. Estes treze províncias realizou 37% da população da Rússia e 20% dos membros da facção bolchevique.

Em agosto, a má comunicação e enganosa levou Geral Lavr Kornilov , o comandante supremo recentemente nomeado das forças militares russas, a acreditar que o governo de Petrogrado já havia sido capturado por radicais, ou estava em sério perigo dos mesmos. Em resposta, ele ordenou tropas para Petrogrado para pacificar a cidade. Para assegurar a sua posição, Kerensky teve que pedir ajuda bolchevique. Ele também procurou a ajuda do Soviete de Petrogrado, que chamados armados Guardas Vermelhos para "defender a revolução." O Kornilov Caso falhou em grande parte devido aos esforços dos bolcheviques, cuja influência sobre os trabalhadores da ferrovia e do telégrafo provou vital em parar o movimento de tropas. Com sua falha golpe, Kornilov rendeu e foi aliviado de sua posição. Papel dos bolcheviques em parar a tentativa de golpe reforçou ainda mais a sua posição.

No início de setembro, o Soviete de Petrogrado libertou todos os bolcheviques presos e Trotsky tornou-se presidente do Soviete de Petrogrado. Um número crescente de socialistas e russos de classe baixa visto do governo menos como uma força em apoio das suas necessidades e interesses. Os bolcheviques beneficiado como o único grande partido de oposição organizada, que se recusou a se comprometer com o Governo Provisório, e beneficiou da crescente frustração e até mesmo desgosto com outras partes, como os mencheviques e socialistas revolucionários, que teimosamente se recusou a romper com a idéia de unidade nacional em todas as classes.

Na Finlândia, Lenin tinha trabalhado em seu livro O Estado ea Revolução e continuou a liderar o seu partido, escrevendo artigos de jornais e decretos políticas. Em outubro, ele voltou a Petrogrado (atual São Petersburgo), consciente de que a cidade cada vez mais radical lhe presenteou nenhum perigo legal e uma segunda oportunidade para a revolução. Reconhecendo a força dos bolcheviques, Lenin começou a pressionar para a derrubada imediata do governo Kerensky pelos bolcheviques. Lenin era da opinião de que a tomada do poder deve ocorrer tanto em São Petersburgo e Moscou, simultaneamente, entre parênteses afirmando que não fazia diferença que a cidade se levantou primeiro, mas expressar sua opinião de que Moscou pode muito bem subir primeiro. O Comitê Central bolchevique elaborou uma resolução, pedindo a dissolução do Governo Provisório em favor do Soviete de Petrogrado. A resolução foi aprovada 10-2 ( Lev Kamenev e Grigory Zinoviev proeminente dissidente) promovendo a Revolução de Outubro .

Revolução de outubro

A Revolução de Outubro foi liderado por Vladimir Lenin e foi baseado em escritos de Lenin nas idéias de Karl Marx , uma ideologia política, muitas vezes conhecido como o marxismo-leninismo . Ele marcou o início da propagação do comunismo no século 20. Foi muito menos esporádica do que a revolução de fevereiro e surgiu como o resultado de um planejamento deliberado e atividade coordenada para esse fim.

Embora Lenin era o líder do Partido Bolchevique, tem-se argumentado que desde que Lenin não estava presente durante a tomada real do Palácio de Inverno, foi realmente organização de Trotsky ea direção que levou a revolução, meramente impulsionado pela motivação Lenin instigado dentro de sua festa. Críticos de direita têm sustentado que a assistência financeira e logística da inteligência alemã através do seu agente de chave, Alexander Parvus era um componente-chave, bem como, embora os historiadores estão divididos, já que há pouca evidência de apoiar essa reivindicação.

A dissolução da Assembleia Constituinte em 6 de janeiro de 1918. O Palácio Tauride está bloqueado e guardado por Trotski , Sverdlov , Zinoviev e Lashevich .

Em 7 de Novembro de 1917, bolchevique líder Vladimir Lenin levou seus revolucionários de esquerda em uma revolta contra o governo provisório ineficaz (Rússia ainda estava usando o calendário juliano no momento, então referências período mostram uma Outubro Data 25). A Revolução de Outubro terminou a fase da revolução instigado em fevereiro, substituindo governo parlamentar provisória curta duração da Rússia com o governo por soviéticos , conselhos locais eleitos pelos corpos de operários e camponeses. Forças liberais e monárquicos, frouxamente organizados para o Exército Branco , imediatamente entrou em guerra contra os bolcheviques Exército Vermelho , em uma série de batalhas que se tornaria conhecido como a Guerra Civil Russa.

Filiação Soviética foi eleito inicialmente livremente, mas muitos membros do Partido Socialista Revolucionário , anarquistas e outros esquerdistas criado oposição aos bolcheviques através dos próprios soviéticos. As eleições para a Assembléia Constituinte russo ocorreu em novembro de 1917. Os bolcheviques ganhou 24% dos votos. Quando se tornou claro que os bolcheviques tinham pouco apoio fora das áreas industrializadas de São Petersburgo e Moscou, eles simplesmente barrado não bolcheviques da adesão nos sovietes. Os bolcheviques dissolveu a Assembléia Constituinte, em janeiro de 1918. Não surpreendentemente, isso causou tensão doméstica massa com muitas pessoas que pediram uma outra série de reformas políticas, revolta, e pedindo "uma terceira revolução russa", um movimento que recebeu uma quantidade significativa de Apoio, suporte. Os exemplos mais notáveis deste mentalidade anti-bolchevique foram expressos na rebelião de Tambov , 1919-1921, ea rebelião de Kronstadt , em março de 1921. Esses movimentos, que fez uma ampla gama de demandas e faltou uma coordenação eficaz, foram derrotados junto com o Exército branco durante a Guerra Civil .

Guerra Civil Russa

Americanos, britânicos e tropas japonesas parada através Vladivostok em apoio armado ao Exército Branco

A Guerra Civil Russa, que eclodiu em 1918, pouco depois da Revolução de Outubro, resultou na morte e sofrimento de milhões de pessoas, independentemente da sua orientação política. A guerra foi travada principalmente entre o Exército Vermelho ( "vermelhos"), que consiste na maioria revolta liderada pela minoria bolchevique e os "brancos"  - oficiais do exército e cossacos, a "burguesia", e grupos políticos que vão desde a extrema direita , para os revolucionários socialistas que se opunham à reestruturação drástica defendido pelos bolcheviques após o colapso do governo provisório, para os soviéticos (sob o domínio bolchevique claro). Os brancos tinham o apoio de outros países, como Grã-Bretanha , a França , a Estados Unidos e Japão , enquanto os Reds possuía apoio interno, provando ser muito mais eficaz. Embora as nações aliadas, usando interferência externa, desde a ajuda militar substancial para as forças anti-bolcheviques pouco unida, eles foram finalmente derrotados.

Os bolcheviques em primeiro lugar assumiu o poder em Petrogrado, ampliando seu domínio para fora. Eles finalmente chegou à costa russa da Sibéria Easterly em Vladivostok , quatro anos após o início da guerra, uma ocupação que se acredita ter terminado todas as campanhas militares importantes do país. Menos de um ano depois, a última área controlada pelo Exército Branco, o Distrito Ayano-Maysky , diretamente ao norte do Krai contendo Vladivostok, foi dado quando o general Anatoly Pepelyayev capitulou em 1923.

Várias revoltas foram iniciados contra os bolcheviques e seu exército perto do fim da guerra, nomeadamente a Rebelião de Kronstadt. Este foi um motim naval projetado por marinheiros soviéticos do Báltico, ex-soldados do Exército Vermelho, e o povo de Kronstadt. Este levante armado foi travada contra as políticas antagonizantes bolcheviques econômicas que os agricultores foram submetidos a, incluindo apreensões de culturas de grãos pelos comunistas. Isso tudo totalizaram descontentamento em larga escala. Quando os delegados representando os marinheiros de Kronstadt chegou a Petrogrado para as negociações, eles levantaram quinze exigências referentes principalmente à direita russo para a liberdade. O Governo denunciou com firmeza as rebeliões e rotulados os pedidos como um lembrete dos socialistas-revolucionários, um partido político que era popular entre os soviéticos antes de Lenin, mas se recusou a cooperar com o exército bolchevique. O Governo, em seguida, respondeu com uma repressão armada dessas revoltas e sofreu dez mil baixas antes de entrar na cidade de Kronstadt. Isto terminou as rebeliões rapidamente, fazendo com que muitos dos rebeldes a fugir buscando exílio político.

Durante a Guerra Civil, Nestor Makhno levou um ucraniano anarquista movimento, o Exército Negro aliada à bolcheviques três vezes, uma das potências terminando a aliança cada vez. No entanto, uma força bolchevique sob Mikhail Frunze destruiu a Makhnovista movimento, quando os makhnovistas se recusou a fundir no Exército Vermelho . Além disso, o chamado " Exército Verde " (camponeses que defendem sua propriedade contra as forças opostas) desempenhou um papel secundário na guerra, principalmente na Ucrânia.

Tribunais revolucionários

Tribunais revolucionários estavam presentes durante tanto da Revolução e da Guerra Civil, destinado a finalidade de combater as forças da contra-revolução. No auge da Guerra Civil, é relatado que mais de 200.000 casos foram investigados por aproximadamente 200 tribunais. Estes tribunais estabeleceram-se ainda mais a partir da Cheka como uma força mais moderado que agiu sob a bandeira da justiça revolucionária, ao invés de um utilizer de estrita força bruta como o ex fez. No entanto, estes tribunais veio com seu próprio conjunto de ineficiências, como responder aos casos em questão de meses e não ter uma definição concreta de "contra-revolução" que foi determinado numa base caso-a-caso. O "Decreto sobre tribunais revolucionários" usados pelo Comissário do Povo de Justiça, afirma no artigo 2º que “Na fixação da pena, o Tribunal Revolucionário deve ser guiado pelas circunstâncias do caso e os ditames da consciência revolucionária." Tribunais revolucionários em última análise, demonstrou que uma forma de justiça ainda era predominante na sociedade russa, onde o governo provisório russo falhou. Isto, em parte, desencadeou a transição política da Revolução de outubro e da Guerra Civil que se seguiu em suas conseqüências.

Execução da família imperial

Execução da família Romanov, Le Petit Journal

Os bolcheviques executados o czar e sua família em 16 de julho de 1918. No início de março, o Governo Provisório colocado Nicholas e sua família sob prisão domiciliar no palácio de Alexander em Tsarskoye Selo , 24 quilômetros (15 milhas) ao sul de Petrogrado. Em agosto de 1917, o Kerensky governo evacuou os Romanovs para Tobolsk nos Urais , para protegê-los contra a crescente onda de revolução. No entanto, Kerensky perdeu o controle após os bolcheviques chegaram ao poder em outubro de 1917, e as condições de sua prisão cresceu mais rigorosa e falar de colocar Nicholas em julgamento aumentou. Como o Exército Branco contra revolucionário ganhou força, levando a uma guerra civil em grande escala, no verão, os Romanov foram transferidos durante abril e maio 1918 a Yekaterinburg , uma fortaleza bolchevique militante.

Durante o início da manhã de 16 de Julho, Nicholas, Alexandra, seus filhos, seu médico, e vários funcionários foram levados para o porão e tiro. De acordo com Edvard Radzinsky e Dmitrii Volkogonov, a ordem veio diretamente de Lenin e Sverdlov em Moscou. Que a ordem veio de cima tem sido acreditado, embora haja uma falta de provas concretas. A execução pode ter sido realizada por iniciativa das autoridades locais bolcheviques, ou ele pode ter sido uma opção pré-aprovado em Moscou deve tropas brancas aproximar Yekaterinburg. Radzinsky observou que guarda-costas de Lenin entregou pessoalmente o telegrama ordenando a execução e que ele foi obrigado a destruir as provas.

Simbolismo

Pintura soviético Vladimir Lenin por Isaac Brodsky .

A Revolução Russa tornou-se o local para muitos casos de simbolismo , tanto físicas e não-físicas. Simbolismo comunista é talvez o mais notável deste período de tempo, como a estréia do icônico foice eo martelo como uma representação da Revolução de Outubro em 1917, tornando-se o símbolo oficial da URSS em 1924. Embora os bolcheviques não têm extensa experiência política, seu retrato da própria revolução como um fim político e simbólico resultou em representação do comunismo como um messiânico fé, formalmente conhecido como o messianismo comunista. Retratos de figuras revolucionárias notáveis como Lenin foram feitas em métodos iconográficos, equiparando-os à semelhança figuras religiosas, embora a própria religião foi proibido na URSS e grupos como a Igreja Ortodoxa Russa foram perseguidos.

A revolução eo mundo

A revolução levou à criação da futura União Soviética como um ideocracia ; no entanto, o estabelecimento de tal estado veio como uma ideológica paradoxo , como ideais de como um Estado socialista deve ser criado de Marx foram baseadas na formação de ser natural e não artificial incitado (ou seja, por meio de revolução). Leon Trotsky disse que o objetivo do socialismo na Rússia não seria realizado sem o sucesso da revolução mundial . A onda revolucionária causada pela Revolução Russa durou até 1923, mas apesar das esperanças iniciais para o sucesso na revolução alemã de 1918-1919 , a curta duração República Soviética Húngara , e outros como ele, nenhuma outra Marxista movimento no momento em que conseguiu manter poder em suas mãos.

Esta questão está sujeita a visões conflitantes sobre a história comunista por vários grupos marxistas e festas. Joseph Stalin mais tarde rejeitou esta ideia, afirmando que o socialismo era possível em um país .

A confusão sobre a posição de Stalin na questão decorre do fato de que, após a morte de Lenin em 1924, ele usou com sucesso o argumento de Lenin - o argumento de que o sucesso do socialismo precisa do apoio de trabalhadores de outros países, a fim de acontecer - para derrotar seus concorrentes dentro do festa acusando-os de trair Lenin e, portanto, os ideais da Revolução de outubro.

Outras revoluções comunistas

A Revolução Russa inspirou outros movimentos comunistas de todo o mundo em regiões como o Sul da Ásia , Sudeste da Ásia e América Latina .

China

A Revolução Comunista Chinês começou em 1946 e foi parte da contínua guerra civil chinesa . Marx tinha imaginado revoluções europeias sejam interligados com revoluções asiáticas no-meados do século XIX com o seu 1853 New York Tribune artigo, "Revolução na China e na Europa", no qual ele faz referência os chineses como as pessoas em "convulsão revolucionária", provocou pelo controle econômico britânico. O Movimento Quatro de Maio é considerado um ponto de viragem em que o comunismo se enraizou na sociedade chinesa, especialmente entre os intelectuais. China foi feita oficialmente um país comunista em 1 de Outubro de 1949, resultando no estabelecimento das República Popular da China (que ainda permanece até hoje) com o presidente Mao Zedong em sua cabeça. Atuais líderes da China manter esse Mao "desenvolveu a teoria do socialismo revolucionário", enquanto reformador Deng Xiopeng "desenvolveu a teoria da construção do socialismo com características chinesas".

Cuba

Cuba teve a sua própria revolução comunista, bem como, conhecida como a Revolução Cubana , que começou em julho de 1953 sob a liderança do revolucionário Fidel Castro . De Castro Movimento 26 de Julho e Revolução Cubana seguiu os passos da Revolta do sargento em Cuba, em 1933, da mesma forma como a Revolução de 1905 na Rússia precedeu a Revolução de Outubro. Movimento de Castro procurado "democracia política, o nacionalismo político e econômico, a reforma agrária, a industrialização, segurança social e educação." Da mesma forma que a Revolução de Outubro, a Revolução Cubana eliminou um regime mais tradicional, hierárquica com o objectivo de estabelecer uma maior igualdade em geral, especificamente na remoção do ex-presidente autoritário Fulgencio Batista . A revolução de Cuba contribuiu para crescentes tensões entre os Estados Unidos ea União Soviética durante a Guerra Fria , tais como falha da CIA invasão de Girón por exilados cubanos em abril de 1961, ea crise dos mísseis cubanos, em outubro de 1962. Hoje, Cuba está se movendo mais para o capitalismo e uma economia de livre mercado , como o Centro para a Democracia nas Américas (CDA) acredita que as políticas de Castro durante seu governo promoveu "uma aceitação de que as forças de mercado podem desempenhar um papel na política económica e que o crescimento econômico deve ser o critério central para julgar o sucesso económico ".

Vietnã

A Volta de agosto ocorreu em 14 de agosto de 1945, liderada pelo líder revolucionário Ho Chi Minh com a ajuda de seu Viet Minh . Durante a Segunda Guerra Mundial , os franceses e japoneses fascistas em Indochina (agora conhecido como o Sudeste da Ásia) começou a sentir uma resistência significativa ao seu domínio colonial. Devido ao fato de que tanto a França eo Japão estavam envolvidos na II Guerra Mundial, o povo vietnamita percebeu uma oportunidade de se envolver em uma revolta, resultando na sangrenta agosto Insurreição, terminando o domínio colonial no Vietnã. O marxismo foi manifestado no Vietnã tão cedo como a Primavera de 1925, quando o Vietnamita Revolucionária Liga da Juventude foi estabelecido, com a liga que está sendo descrito como "a primeira organização verdadeiramente marxista na Indochina" O efeito dominó causado mais preocupação entre os países ocidentais em relação ao comunismo no Sudeste Ásia. Uma interpretação de envolvimento do Reino Estado na Guerra do Vietnã é "A América tinha perdido uma guerra de guerrilha na Ásia, uma perda de causada por falha em apreciar as nuances de contra-insurgência guerra." Desde a queda de Saigon em 30 de Abril de 1975, o Vietnã tem permanecido um país comunista.

Historiografia

Poucos eventos na pesquisa histórica ter sido tão condicionados por influências políticas como a Revolução de Outubro. A historiografia da Revolução geralmente divide-se em três campos: a vista soviético-marxista, a visão ocidental-totalitário, ea visão revisionista. Desde a queda do comunismo (e URSS) na Rússia em 1991, a visão ocidental-totalitário tornou-se novamente dominante ea vista soviético-marxista praticamente desapareceu.

Um biógrafo Lenin, Robert Service , afirma que ele "lançou as bases da ditadura e ilegalidade. Lenin tinha consolidado o princípio da penetração estado de toda a sociedade, sua economia e sua cultura. Lenin tinha praticado terror e defendeu amoralismo revolucionário."

Cronologia

Cronologia dos acontecimentos que conduziram à revolução

Datas estão corretas para o calendário juliano , que foi usado na Rússia até 1918. Foi doze dias atrás do calendário gregoriano durante o século 19 e treze dias atrás dela durante o século 20.

Datas) Evento (s)
1874-1881 Crescente movimento terrorista anti-governo e da reação do governo.
1881 Alexander II assassinado por revolucionários; sucedido por Alexander III .
1883 Primeiro Russo marxista grupo formado.
1894 Comece do reinado de Nicolau II .
1898 Primeiro Congresso de Partido Operário Social-Democrata Russo (POSDR).
1900 Fundação do Partido Socialista Revolucionário (SR).
1903 Segundo Congresso de Partido Operário Social-Democrata Russo. Início da cisão entre bolcheviques e mencheviques .
1904-5 Guerra Russo-Japonesa ; Rússia perde guerra.
1905 Revolução de 1905 .
1905 janeiro Domingo Sangrento em São Petersburgo .
1905 Junho Battleship Potemkin revolta em Odessa no Mar Negro (ver filme O Encouraçado Potemkin ).
1905 Outubro Greve geral, São Petersburgo Soviética formado; Outubro Manifesto : acordo imperial em eleições para o Estado Duma .
1906 First State Duma . O primeiro-ministro: Petr Stolypin . Reformas agrárias começar.
1907 Terceiro Duma, até 1912.
1911 Stolypin assassinado.
1912 Quarta Duma, até 1917. bolchevique / menchevique dividir final.
1914 Alemanha declara guerra à Rússia.
1914 30 de julho O All Russian Zemstvo União para o alívio dos soldados doentes e feridos é criado com Lvov como presidente.
1914 Agosto-novembro Rússia sofre derrotas pesadas e uma grande escassez de suprimentos, incluindo alimentos e munições, mas se agarra Galicia austríaca.
1914 03 de agosto Alemanha declara guerra à Rússia, causando uma breve sensação de união patriótico entre o povo russo e uma desaceleração marcante.
1914 18 de agosto São Petersburgo é renomeado Petrogrado como os nomes dos germânicos "são alteradas para soar mais russo, e, portanto, mais patriótico.
1914 05 de novembro membros bolcheviques da Duma são presos; eles estão mais tarde tentou e exilado para a Sibéria.
1915 derrotas graves, Nicholas II declara-se Comandante em Chefe.
1915 19 de fevereiro Grã-Bretanha e França prometem Rússia Istambul e outras terras turcas.
1915 05 de junho Strikers baleado em Kostroma; vítimas.
1915 09 de julho O Grande Retreat começa, como as forças russas puxar para trás para fora da Galiza e russo Polónia na Rússia propriamente dita.
1915 09 de agosto partidos burgueses da Duma formam o 'bloco Progressivo' para pressionar por um governo melhor e reforma; inclui os cadetes, grupos outubrista e Nationalists.
1915 10 de agosto Strikers baleado em Ivanovo-Voznesensk; vítimas.
1915 17-19 agosto Strikers em Petrogrado protestar contra as mortes em Ivanovo-Voznesensk.
1915 23 de agosto Reagindo a falhas de guerra e uma Duma hostil, o czar toma posse como comandante-em-chefe das forças armadas, prorroga a Duma e move-se para a sede militar em Mogilev. governo central começa a aproveitar-se.
1916 Alimentos e dos combustíveis escassez e preços altos. Bloco progressiva formado.
1916 De janeiro a dezembro Apesar do sucesso na ofensiva Brusilov, o esforço de guerra russo ainda é caracterizado pela escassez, má comando, morte e deserção. Longe da frente, o conflito provoca fome, inflação e uma torrente de refugiados. Ambos os soldados e civis culpar a incompetência do czar e seu governo.
1916 06 de fevereiro Duma reuniu novamente.
1916 29 de fevereiro Após um mês de greve na fábrica Putilov, o governo recrutas os trabalhadores e se encarrega da produção. greves de protesto seguir.
1916 20 de junho Duma prorrogado.
1916 Outubro As tropas da 181ª Regimento de ajuda grevistas Russkii Renault lutar contra a polícia.
1916 01 de novembro Miliukov dá o seu 'não é estupidez ou traição? discurso na Duma reuniu novamente.
1916 29 de dezembro Rasputin é assassinado pelo príncipe Yusupov.
1916 30 de dezembro O czar é avisado de que seu exército não vai apoiá-lo contra uma revolução.
1917 Greves, motins, manifestações de rua levar à queda da autocracia.

Cronologia dos 1917 revoluções

Gregorian Date Data juliana Evento
janeiro Greves e distúrbios em Petrogrado .
fevereiro Revolução de Fevereiro .
08 de março 23 de fevereiro Dia Internacional da Mulher: greves e manifestações em Petrogrado, crescendo ao longo dos próximos dias.
11 de março 26 de fevereiro 50 manifestantes mortos em Znamenskaya Praça czar Nicolau II prorroga o comandante Duma e ordens de Estado do distrito militar de Petrogrado para suprimir distúrbios com força.
12 de março 27 de fevereiro * Tropas se recusam a disparar sobre os manifestantes, desertores. Prisões, tribunais e bumbs policiais atacadas e saqueadas pela multidão enfurecida.
  • Okhrana edifícios incendiados. Garrison junta-se revolucionários.
  • Petrogrado formado Soviética.
  • Formação do Comitê Provisório da Duma pelos liberais do Partido Democrático Constitucional (cadetes).
14 mar 01 março Fim No.1 do Soviete de Petrogrado.
15 de março 02 de março Nicolau II abdica. Governo Provisório formado pelo primeiro-ministro príncipe Lvov .
16 de abril 03 de abril Retorno de Vladimir Lenin à Rússia. Ele publica suas Teses de Abril .
3-04 maio 20-21 abril "Dias de Abril": manifestações de massa por parte dos trabalhadores, soldados e outros nas ruas de Petrogrado e Moscou desencadeados pela publicação do ministro das Relações Exteriores Pavel Miliukov 's nota aos aliados, o que foi interpretado como afirmando compromisso com as políticas de guerra do antigo governo. Primeiro Governo Provisório cai.
18 mai 05 de maio Formas primeiro governo de coalizão quando os socialistas, representantes da liderança soviética, concordam em entrar no gabinete do Governo Provisório. Alexander Kerensky , o único socialista já no governo, feito ministro da Guerra e da Marinha.
16 de junho 03 de junho Primeiro All-Russian Congresso de deputados operários e soldados abre em Petrogrado. Encerrada em 24 de Junho. Elege Central Comitê Executivo dos Sovietes (VTsIK), liderado por mencheviques e SRs.
23 de junho 10 de junho Planejado demonstração bolchevique em Petrogrado proibido pelo Soviética.
29 de junho 16 de junho Kerensky ordena ofensiva contra as forças Austro-Húngaro. sucesso inicial somente.
01 de julho 18 de junho demonstração oficial soviética em Petrogrado para a unidade de forma inesperada é dominado por slogans bolcheviques: "Abaixo os dez ministros capitalistas", "Todo o poder aos sovietes".
15 de julho 02 de julho Extremidades ofensiva russa. Trotsky se junta bolcheviques.
16-17 julho julho 03-04 As " jornadas de julho "; manifestações de massa armados em Petrogrado, encorajados pelos bolcheviques, exigindo "todo o poder aos sovietes".
19 de julho 06 de julho Alemão e Austro-Húngaro contra-ataque. Russos recuar em pânico, saqueando a cidade de Tarnopol . Prisão de líderes bolcheviques ordenada.
20 de julho 07 de julho Lvov renuncia e pede Kerensky para se tornar primeiro-ministro e formar um novo governo. Estabeleceu 25 de julho.
04 de agosto 22 de julho Trotsky e Lunacharskii preso.
08 de setembro 26 de agosto Segundo governo de coalizão termina.
08-12 setembro 26-30 agosto "Kornilov motim". Começa quando o comandante em chefe-do exército russo, o general Lavr Kornilov, demandas (ou é considerado por Kerensky para exigir) que o governo dar-lhe toda a autoridade civil e militar e move tropas contra Petrogrado.
13 de setembro 31 de agosto Maioria dos deputados do Soviete de Petrogrado aprovar uma resolução bolchevique para um governo todo-socialista excluindo a burguesia.
14 de setembro 01 de setembro Rússia declarou uma república.
17 de setembro 04 de setembro Trotsky e outros libertados.
18 de setembro 05 de setembro resolução bolchevique sobre o governo ganha maioria de votos em Moscou Soviética.
02 de outubro 19 set Moscow Soviética elege o comitê executivo e nova presidium, com maiorias bolcheviques, eo bolchevique Viktor Nogin como presidente.
08 de outubro 25 de setembro Terceiro governo de coalizão formado. Maioria bolchevique em Petrogrado Soviética elege bolchevique Presidium e Trotsky como presidente.
23 de outubro 10 de outubro reunião do Comité Central bolchevique aprova levante armado.
24 de outubro 11 de outubro Congresso dos Sovietes da Região Norte, até 13 de outubro.
02 de novembro 20 de outubro Primeira reunião do Comitê Revolucionário Militar do Soviete de Petrogrado .
7 de novembro 25 de outubro Revolução de Outubro é lançado como MRC dirige operários armados e soldados para capturar edifícios-chave em Petrogrado. Palácio de Inverno teriam atacado às 9:40 pm e capturado em 2am. Kerensky foge Petrogrado. Abertura do 2º Congresso Pan-Russo dos Sovietes .
08 de novembro 26 de outubro II Congresso dos Sovietes: mencheviques e os delegados SR certas sair em protesto contra os acontecimentos do dia anterior. Congresso aprova transferência da autoridade do Estado em suas próprias mãos e poder local para as mãos dos Sovietes locais de trabalhadores, soldados e deputados camponeses, abole a pena de morte, questões Decreto sobre a Paz e Decreto sobre Terra , e aprova a formação de uma governo todo-bolchevique, o Conselho dos Comissários do Povo (Sovnarkom), com Lenin como presidente.

retrato cultural

George Orwell clássica novela 's Animal Farm é uma alegoria da Revolução Russa e suas consequências. Ele descreve o ditador Stalin como um grande Berkshire javali chamado, "Napoleão". Trotsky é representado por um porco chamado Snowball que é um orador brilhante e faz discursos magníficos. No entanto, Napoleão derruba Snowball como Stalin derrubou Trotsky e Napoleão assume a fazenda os animais vivem. Napoleão torna-se um tirano e usa a força e propaganda para oprimir os animais.

Filme

A Revolução Russa foi retratado em ou serviu como pano de fundo para muitos filmes. Entre eles, em ordem de data de lançamento:

Videogames

A Revolução Russa tem sido usado como um pano de fundo direto para selecionados jogos de vídeo. Entre eles, em ordem de data de lançamento:

  • Creed Chronicles do assassino , 2016. Dos vários cenários históricos, os jogadores podem assumir o papel de assassino fictício, Nikolai Orelov. Sua missão é obter um artefato da casa do czar durante rescaldo da Revolução de Outubro em 1918.
  • Battlefield 1 's Em Nome do czar Downloadable Content Pack (DLC) de 2017. Os jogadores podem optar por lutar por objetivos como quer o Exército Vermelho bolchevique ou o Exército Branco imperial em dois locais diferentes: o rio Volga e Tsaritsyn (hoje Volgogrado ).

Veja também

notas de rodapé

Notas

Outras leituras

  • Acton, Edward, Vladimir Cherniaev, e William G. Rosenberg, eds. A Companion crítica à Revolução Russa, 1914-1921 (Bloomington, 1997).
  • Ascher, Abraham. A Revolução Russa: Guia de um novato (Oneworld Publications, 2014)
  • Beckett, Ian FW (2007). A Grande Guerra (2 ed.). Longman. ISBN  1-4058-1252-4 .
  • Brenton, Tony. Revolução era inevitável ?: pontos de viragem da Revolução Russa (Oxford UP, 2017).
  • Cambridge História da Rússia , vol. 2-3, Inglaterra: Cambridge University Press. ISBN  0-521-81529-0 (vol. 2) ISBN  0-521-81144-9 (vol. 3).
  • Chamberlin, William Henry. A Revolução Russa, Volume I: 1917-1918: Desde a derrubada do czar à tomada do poder pelos bolcheviques ; A Revolução Russa, Volume II: 1918-1921: Desde a Guerra Civil para a consolidação do poder (1935), famoso clássico
  • Figes, Orlando (1996). A tragédia de um povo: A Revolução Russa: 1891-1924 . Pimlico.
  • Daly, Jonathan, e Leonid Trofimov, eds. " A Rússia na Primeira Guerra e Revolução, 1914-1922: Uma História Documental ". (Indianapolis e Cambridge, MA: Hackett Publishing Company, 2009). ISBN  978-0-87220-987-9 .
  • Fitzpatrick, Sheila. A Revolução Russa . 199 páginas. Imprensa da Universidade de Oxford; (2nd ed. 2001). ISBN  0-19-280204-6 .
  • Lincoln, W. Bruce. Passagem pelo Armageddon: Os russos na Guerra e Revolução, 1914-1918 . (Nova York, 1986).
  • Malone, Richard (2004). Analisando a Revolução Russa . Cambridge University Press. p. 67. ISBN  0-521-54141-7 .
  • Marples, David R. Revolução de Lênin: Rússia, 1917-1921 (Routledge, 2014).
  • Mawdsley, Evan. Guerra Civil Russa (2007). 400p.
  • Piper, Jessica. Eventos que mudaram o curso da História: A História da Revolução Russa de 100 anos depois (Atlantic Publishing Company, 2017), história popular.
  • Rappaport, Helen. Caught in the Revolution: Petrogrado, na Rússia de 1917-A World on the Edge (Macmillan, 2017).
  • Pipes, Richard . A Revolução Russa (Nova York, 1990)
  • Pipes, Richard (1997). Três "porquês" da Revolução Russa . Vintage Books. ISBN  978-0-679-77646-8 .
  • Service, Robert. Lênin: Uma biografia (2000); edição um vol de seu três volumes biografia acadêmica
  • Robert Service (2005). A história da Rússia moderna de Nicholas II para Vladimir Putin . Harvard University Press. ISBN  978-0-674-01801-3 .
  • Service, Robert (1993). A Revolução Russa, 1900-1927 . Basingstoke: MacMillan. ISBN  0333560361 .
  • Shukman, Harold, ed. A Enciclopédia Blackwell da Revolução Russa (1998) artigos de mais de 40 especialistas
  • Smele, Jonathan. O 'russo' Guerras Civil, 1916-1926: Dez Anos que abalou o mundo (Oxford UP, 2016).
  • Stoff, Laurie S. Lutaram para a pátria: Mulheres soldados na Primeira Guerra Mundial e a Revolução da Rússia (2006) 294pp
  • Swain, Geoffrey. Trotsky ea Revolução Russa (Routledge, 2014)
  • Tames, Richard (1972). Último dos czares . Londres: Pan Books Ltd. ISBN  978-0-330-02902-5 .
  • Wade, Rex A. (2005). A Revolução Russa de 1917 . Cambridge University Press. ISBN  978-0-521-84155-9 .
  • Wade, R. (2000). A Revolução Russa de 1917 . Cambridge University Press.
  • Walston, Oliver (2005). Revolução russa . 76: Farmers Weekly.
  • Branca, James D. Lenin: The Practice & Teoria da Revolução (2001) 262pp
  • Madeira, Alan (1993). As origens da Revolução Russa, 1861-1917 . London: Routledge. ISBN  0415102324 .

Historiografia

  • Gatrell, Peter. "A Rússia czarista at War: The View from Above de 1914-fevereiro 1917" Journal of Modern History 87 # 4 (2015) 668-700 on-line
  • Haynes, Mike e Wolfreys, Jim (eds). História e Revolução: Refutando Revisionismo . Verso Books, 2007. ISBN  978-1844671502
  • Smith, SA "A historiografia da revolução russa 100 anos depois." Kritika: Explorações na Rússia e Eurásia História 16,4 (2015): 733-749.
  • Smith, Steve. "Escrevendo a História da Revolução Russa após a queda do comunismo." Europa-Ásia Estudos 46,4 (1994): 563-578.
  • Wade, Rex A. "A revolução em cem: questões e tendências no Idioma Inglês Historiografia da Revolução Russa de 1917." Jornal da história russa moderna e Historiografia 9.1 (2016): 9-38.
  • Warth, Robert D. "Na Historiografia da Revolução Russa." Eslava revisão 26.2 (1967): 247-264.

contas dos participantes

  • Reed, John . Dez dias que abalaram o mundo . 1919, 1ª Edição, publicado pela BONI & Liveright, Inc. para editores internacionais. Transcritas e marcado por David Walters para John Reed Internet Archive . Penguin Books; 1ª edição. 01 de junho de 1980. ISBN  0-14-018293-4 . Retirado 14 de maio de 2005.
  • Serge, Victor . Ano Um da Revolução Russa . L'An l de la russe revolução de 1930. Ano Um da Revolução Russa, Holt, Rinehart e Winston. Tradução, introdução do editor, e as notas © 1972 por Peter Sedgwick. Reproduzido em Victor Serge Internet Archive com permissão. ISBN  0-86316-150-2 . Retirado 14 de maio de 2005.
  • Steinberg, Mark, Vozes da Revolução de 1917 . Yale University Press, 2001
  • Trotsky, Leon . A História da Revolução Russa . Traduzido por Max Eastman, 1932. Biblioteca do número 8083994. Catálogo de cartão Congresso ISBN  0-913460-83-4 . Transcrição para a World Wide Web por John Gowland (Austrália), Alphanos Pangas (Grécia) e David Walters (Estados Unidos). Edição Pathfinder Press. 01 de junho de 1980. ISBN  0-87348-829-6 . Retirado 14 de maio de 2005.

documentos primários

  • Ascher, Abraham, ed. Os mencheviques na Revolução Russa (Ithaca, 1976).
  • Browder, Robert Paul e Alexander F. Kerensky , eds,. O Governo Provisório Russo de 1917: Documents . 3 volumes (Stanford, 1961).
  • Bunyan, James e HH Fisher, eds. A Revolução Bolchevique, 1917-1918: documentos e materiais (Stanford, 1961; primeira ed 1.934.).
  • Daly, Jonathan, e Leonid Trofimov, eds. " A Rússia na Primeira Guerra e Revolução, 1914-1922: Uma História Documental ". (Indianapolis e Cambridge, MA: Hackett Publishing Company, 2009). ISBN  978-0-87220-987-9 .
  • Miller, Martin A., ed. Revolução Russa: Os Leituras essenciais (2001) 304pp
  • Steinberg, Mark D. Vozes da Revolução de 1917 . Na série "Annals of Communism", Yale University Press , 2001. 404pp publicação on-line destes textos no original russo: Golosa revoliutsii de 1917 g. (Yale University Press, 2002)
  • Zeman, ZAB ed. Alemanha e da Revolução na Rússia, 1915-1918: documentos dos arquivos do Ministério do Exterior da Alemanha (1958) em Questia

links externos